Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Foto: ASCOM/MS

PREVENÇÃO: Ministério da Saúde lança campanha para evitar Infecções Sexualmente Transmissíveis no Brasil

A preocupação do HIV entre jovens, o aumento da sífilis e a contínua transmissão das hepatites. Esses são indicadores que revelam que o comportamento de risco, principalmente dos jovens, vem impedindo o país de avançar no combate às infecções sexualmente transmissíveis.

Salvar imagemTexto para rádio

A preocupação do HIV entre jovens, o aumento da sífilis e a contínua transmissão das hepatites. Esses são indicadores que revelam que o comportamento de risco, principalmente dos jovens, vem impedindo o país de avançar no combate às infecções sexualmente transmissíveis. Então, para incentivar o uso da camisinha e informar os jovens sobre os riscos e consequências de contrair uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, lançou a campanha “usar camisinha é uma responsa de todos”. As chamadas ISTs, aumentam em até 18 vezes a chance de infecção pelo HIV/Aids. Isso porque as infecções sexualmente transmissíveis geralmente causam lesões nos órgãos genitais, o que aumenta a vulnerabilidade para a pessoa adquirir o HIV, por meio do contato com secreções e sangue. Por isso, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, deixa um recado para os jovens. 

“O HIV é sim um grande problema que a gente costuma falar ‘olha a conversem sobre HIV, conversem sobre essas doenças aí’, não só com família, mas com amigos, procura se informar. Não embarca nessa, de que o ‘HIV não tem nada a ver, você toma remédio’. Teve um que falou para mim e disse ‘a carga viral cai’ porque olha lá no doutor Google e fala ‘Opa, a carga viral cai’. A gente ainda sonha com uma vacina, aí sim você ter o sistema imunológico e a gente enfrentar esse vírus, mas hoje ele é só remédio e controle diretasso. Se vacilar no controle o adoecimento é grave”.

As infecções transmitidas por relação sexual são causadas por dezenas de vírus e bactérias durante o contato sexual, sem o uso de camisinha, com uma pessoa que esteja infectada. A camisinha, distribuída gratuitamente nas unidades de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS), é a forma mais simples e eficaz de se proteger não só do HIV/Aids, mas também da sífilis, da gonorreia, de hepatites virais e até do zika vírus, além de evitar uma gravidez não planejada. Por isso, a importância de reforçar constantemente a necessidade de proteção, incentivando o uso de camisinha, diariamente e não apenas durante o Carnaval ou festas!
 

Fonte: Brasil 61

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.

A preocupação do HIV entre jovens, o aumento da sífilis e a contínua transmissão das hepatites. Esses são indicadores que revelam que o comportamento de risco, principalmente dos jovens, vem impedindo o país de avançar no combate às infecções sexualmente transmissíveis. Então, para incentivar o uso da camisinha e informar os jovens sobre os riscos e consequências de contrair uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, lançou a campanha “usar camisinha é uma responsa de todos”. As chamadas ISTs, aumentam em até 18 vezes a chance de infecção pelo HIV/Aids. Isso porque as infecções sexualmente transmissíveis geralmente causam lesões nos órgãos genitais, o que aumenta a vulnerabilidade para a pessoa adquirir o HIV, por meio do contato com secreções e sangue. Por isso, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, deixa um recado para os jovens. 

 

“O HIV é sim um grande problema que a gente costuma falar ‘olha a conversem sobre HIV, conversem sobre essas doenças aí’, não só com família, mas com amigos, procura se informar. Não embarca nessa, de que o ‘HIV não tem nada a ver, você toma remédio’. Teve um que falou para mim e disse ‘a carga viral cai’ porque olha lá no doutor Google e fala ‘Opa, a carga viral cai’. A gente ainda sonha com uma vacina, aí sim você ter o sistema imunológico e a gente enfrentar esse vírus, mas hoje ele é só remédio e controle diretasso. Se vacilar no controle o adoecimento é grave”.

As infecções transmitidas por relação sexual são causadas por dezenas de vírus e bactérias durante o contato sexual, sem o uso de camisinha, com uma pessoa que esteja infectada. A camisinha, distribuída gratuitamente nas unidades de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS), é a forma mais simples e eficaz de se proteger não só do HIV/Aids, mas também da sífilis, da gonorreia, de hepatites virais e até do zika vírus, além de evitar uma gravidez não planejada. Por isso, a importância de reforçar constantemente a necessidade de proteção, incentivando o uso de camisinha, diariamente e não apenas durante o Carnaval ou festas!