Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Lei Rouanet passará por mudanças

Antes os interessados precisavam comprovar atuação na área cultural relacionada ao projeto; agora, isto não é mais exigido

Salvar imagem

Ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão. Foto: Agência Brasil

O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, anunciou nesta quinta-feira (30), que a Lei Federal de Incentivo à Cultura, conhecida como Lei Rouanet, vai passar por mudanças. Uma delas se refere ao número de artigos, que serão reduzidos. Antes eram 136 artigos, e agora passará a ter 73.

Segundo o ministro, as mudanças tornarão as regras mais claras e irá atrair mais investimentos para o setor cultural. Um dos itens que foram modificados é que o incentivador do projeto vai poder promover a marca dele com ações de marketing e reforçar a promoção dos projetos apoiados, que antes era considerado vantagem indevida.

Antes os interessados precisavam comprovar atuação na área cultural relacionada ao projeto. Agora, isto não é mais exigido, e será permitido admitir projetos de empreendedores que acabaram de chegar no mercado.

A nova instrução determina que os projetos de valor superior a R$ 3 milhões devem ter um estudo de impacto econômico.

Outra novidade é que estas novas regras vão permitir um investimento maior em regiões que tem poucos projetos culturais. As regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste, por exemplo, já estavam contempladas na norma anterior. Agora, a região Sul e o Estado de Minas Gerais vão ser contemplados e os valores serão aumentados em relação a São Paulo e Rio de Janeiro.

Até 2018, o Ministério da Cultura vai enviar um projeto de lei ou uma medida provisória com sugestões de alterações na Lei Rouanet que não podem ser feitas por meio de instrução normativa. Lembrando que a Lei Rouanet é o principal mecanismo de fomento à cultura no país.

Reportagem, Cintia Moreira.

 

Fonte: Brasil 61

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.