Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Créditos: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

BRASILEIRÃO: Com derrota do Santos no clássico, Verdão e Fla diminuem diferença pela liderança

São Paulo vence de virada e quebra invencibilidade do Peixe

Salvar imagemTexto para rádio

Nove jogos movimentaram a classificação do Brasileirão em partidas válidas pela 14ª rodada do campeonato.

Durante o fim de semana de futebol, jogando em casa, o Palmeiras não conseguiu espantar a desconfiança da torcida em jogo marcado pela interferência do árbitro de vídeo. Na partida que marcou a estreia de Luiz Adriano, o Verdão empatou em dois a dois com o Bahia. A equipe de Felipão comandou bem no primeiro tempo e a abriu vantagem com Dudu logo aos 10 minutos. Antes do intervalo, Felipe Melo foi expulso após cotovelada em Lucca.

Com um a mais, o Bahia tomou a iniciativa de ir para o ataque e deu trabalho para o Palmeiras. Já na segunda etapa, antes dos dez minutos, o árbitro de vídeo entrou em ação e marcou pênalti para o Tricolor de Aço após toque de mão de Diego Barbosa. Gilberto marcou e empatou. Não demorou muito e Dudu colocou o Palestra à frente após lateral de Marcos Rocha. Aos 33, o árbitro de vídeo entrou em ação novamente e marcou mais um pênalti para o Bahia, após falta de Luan em Arthur Caíke. Gilberto mais uma vez cobrou e guardou. Final, Palmeiras dois, Bahia dois. O Tricolor de Aço se manteve na décima posição, enquanto o Verdão continua na vice-liderança, mas perdeu a chance de chegar na ponta.

Isso porque o São Paulo quebrou a invencibilidade de sete jogos do Santos. Jogando no Morumbi, o Tricolor venceu o rival de virada. Sasha abriu o placar para o Peixe no fim do primeiro tempo. Logo no começo da segunda etapa, Alexandre Pato marcou após cobrando de escanteio. Antes do relógio marcar dez minutos veio a virada. Felipe Aguilar meteu a mão na bola depois de outro escanteio. Reinaldo bateu o pênalti e colocou o time em vantagem. Aos 26, mais uma vez Pato deixou o dele. Raniel fez contra e o Santos diminuiu, mas parou por aí. São Paulo três, Santos dois. A vitória rendeu um lugar acima na tabela e o Tricolor retomou a quinta posição. O Peixe ainda é líder, com 32 pontos, três a mais que o Palmeiras.

O Botafogo engatou a segunda vitória seguida, e bateu o Athletico Paranaense por dois a um. O Fogão subiu duas posições e está em sétimo. O Furacão caiu três degraus e é o 11º na tabela.

Fora de casa, o Vasco garantiu três pontos diante do Goiás. No Serra Dourada, Marcos Júnior marcou o gol da vitória do Gigante da Colina que agora deu mais um passo para fugir da zona do rebaixamento. O Vasco agora é o 14º colocado. O Esmeraldino se manteve no 12º lugar, mas acumulou a terceira derrota seguida e não vence há cinco jogos.

No duelo dos desesperados, na parte de baixo da tabela, Avaí e Cruzeiro empataram em dois a dois na Ressacada. O ponto conquistado deu uma posição ao Celeste, que permanece na zona de rebaixamento, com a 17ª posição. O Avaí segue sem vencer no campeonato e é o lanterna com apenas 6 pontos.

Quem aproveitou o tropeço do Santos foi o Flamengo, que venceu bem o Grêmio por três a um no Maracanã. William Arão, Arrascaeta e Everton Ribeiro marcaram para o Fla, enquanto Galhardo marcou para os visitantes. O Tricolor Gaúcho estacionou no 13º lugar, enquanto o Rubro Negro manteve o terceiro lugar e agora está há cinco pontos do líder, com 27.

Com o mesmo número de pontos que o Mengão, o Atlético Mineiro também não deu mole e ganhou do Fluminense no Independência por dois a um. O Galo fica na quarta posição por conta do saldo de gols menor. O Flu está próximo da zona do rebaixamento, no 16º lugar.

Nono colocado, o Ceará não perdoou no Castelão e atropelou a Chapecoense por quatro a um. Thiago Galhardo marcou três vezes e foi o nome da partida, Felipe Cardoso fechou a goleada. Renato Kayzer fez o de honra para a Chape, que é o 18º na tabela.

Uma partida fecha a rodada. Nesta segunda-feira (12), CSA e Fortaleza se enfrentam no Rei Pelé a partir das oito da noite, horário de Brasília. Essa será a primeira partida do Tricolor sem Rogério Ceni. O treinador, deixou o comando do Fortaleza e irá treinar o Cruzeiro. 

Continue Lendo

Receba nossos conteúdos em primeira mão.

Nove jogos movimentaram a classificação do Brasileirão em partidas válidas pela 14ª rodada do campeonato.

Durante o fim de semana de futebol, jogando em casa, o Palmeiras não conseguiu espantar a desconfiança da torcida em jogo marcado pela interferência do árbitro de vídeo. Na partida que marcou a estreia de Luiz Adriano, o Verdão empatou em dois a dois com o Bahia. A equipe de Felipão comandou bem no primeiro tempo e a abriu vantagem com Dudu logo aos 10 minutos. Antes do intervalo, Felipe Melo foi expulso após cotovelada em Lucca.

Com um a mais, o Bahia tomou a iniciativa de ir para o ataque e deu trabalho para o Palmeiras. Já na segunda etapa, antes dos dez minutos, o árbitro de vídeo entrou em ação e marcou pênalti para o Tricolor de Aço após toque de mão de Diego Barbosa. Gilberto marcou e empatou. Não demorou muito e Dudu colocou o Palestra à frente após lateral de Marcos Rocha. Aos 33, o árbitro de vídeo entrou em ação novamente e marcou mais um pênalti para o Bahia, após falta de Luan em Arthur Caíke. Gilberto mais uma vez cobrou e guardou. Final, Palmeiras dois, Bahia dois. O Tricolor de Aço se manteve na décima posição, enquanto o Verdão continua na vice-liderança, mas perdeu a chance de chegar na ponta.

Isso porque o São Paulo quebrou a invencibilidade de sete jogos do Santos. Jogando no Morumbi, o Tricolor venceu o rival de virada. Sasha abriu o placar para o Peixe no fim do primeiro tempo. Logo no começo da segunda etapa, Alexandre Pato marcou após cobrando de escanteio. Antes do relógio marcar dez minutos veio a virada. Felipe Aguilar meteu a mão na bola depois de outro escanteio. Reinaldo bateu o pênalti e colocou o time em vantagem. Aos 26, mais uma vez Pato deixou o dele. Raniel fez contra e o Santos diminuiu, mas parou por aí. São Paulo três, Santos dois. A vitória rendeu um lugar acima na tabela e o Tricolor retomou a quinta posição. O Peixe ainda é líder, com 32 pontos, três a mais que o Palmeiras.

O Botafogo engatou a segunda vitória seguida, e bateu o Athletico Paranaense por dois a um. O Fogão subiu duas posições e está em sétimo. O Furacão caiu três degraus e é o 11º na tabela.

Fora de casa, o Vasco garantiu três pontos diante do Goiás. No Serra Dourada, Marcos Júnior marcou o gol da vitória do Gigante da Colina que agora deu mais um passo para fugir da zona do rebaixamento. O Vasco agora é o 14º colocado. O Esmeraldino se manteve no 12º lugar, mas acumulou a terceira derrota seguida e não vence há cinco jogos.

No duelo dos desesperados, na parte de baixo da tabela, Avaí e Cruzeiro empataram em dois a dois na Ressacada. O ponto conquistado deu uma posição ao Celeste, que permanece na zona de rebaixamento, com a 17ª posição. O Avaí segue sem vencer no campeonato e é o lanterna com apenas 6 pontos.

Quem aproveitou o tropeço do Santos foi o Flamengo, que venceu bem o Grêmio por três a um no Maracanã. William Arão, Arrascaeta e Everton Ribeiro marcaram para o Fla, enquanto Galhardo marcou para os visitantes. O Tricolor Gaúcho estacionou no 13º lugar, enquanto o Rubro Negro manteve o terceiro lugar e agora está há cinco pontos do líder, com 27.

Com o mesmo número de pontos que o Mengão, o Atlético Mineiro também não deu mole e ganhou do Fluminense no Independência por dois a um. O Galo fica na quarta posição por conta do saldo de gols menor. O Flu está próximo da zona do rebaixamento, no 16º lugar.

Nono colocado, o Ceará não perdoou no Castelão e atropelou a Chapecoense por quatro a um. Thiago Galhardo marcou três vezes e foi o nome da partida, Felipe Cardoso fechou a goleada. Renato Kayzer fez o de honra para a Chape, que é o 18º na tabela.

Uma partida fecha a rodada. Nesta segunda-feira (12), CSA e Fortaleza se enfrentam no Rei Pelé a partir das oito da noite, horário de Brasília. Essa será a primeira partida do Tricolor sem Rogério Ceni. O treinador, deixou o comando do Fortaleza e irá treinar o Cruzeiro. 

Reportagem, Raphael Costa