Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

AGÊNCIA ENTREVISTA: Presidente de associação de bureaus de crédito tira dúvidas sobre cadastro positivo de consumidores

Elias Sfeir é o presidente Executivo da Associação Nacional dos Bureaus de Crédito

Salvar imagem

Começa agora mais um Agência Entrevista. Meu nome é Paulo Henrique Gomes, repórter da Agência do Rádio Mais, e hoje nós vamos falar com o Elias Sfeir, presidente Executivo da Associação Nacional dos Bureaus de Crédito (ANBC). Hoje, nós vamos conversar sobre o PLP 441/2017, que trata do novo cadastro positivo e está em tramitação no Congresso Nacional. Nesta edição do programa, vamos entender um pouco sobre a matéria e esclarecer pontos que interessam aos consumidores de todo o país.

ÁUDIO: Acesse o primeiro bloco desta entrevista para rádio

ÁUDIO: Acesse o segundo bloco desta entrevista para rádio

Elias, muito obrigado por aceitar o nosso convite. Eu gostaria de começar perguntando o que é o Cadastro Positivo e quais os benefícios que oferece para os consumidores e para as empresas?

Elias Sfeir, presidente Executivo da Associação Nacional dos Bureaus de Crédito (ANBC)

“Bom, o Cadastro Positivo permite às empresas que concedem créditos, uma avaliação individual e mais precisa do histórico de crédito do consumidor. Com isso, o novo modelo do Cadastro Positivo pode proporcionar créditos mais acessíveis e baratos por meio da diminuição dos riscos da oferta de crédito e maior concorrência no mercado de crédito e pela criação da nota de crédito. Além de tudo, possibilitará a inclusão de 22 milhões de pessoas no mercado de crédito”.

Qual a diferença entre o Cadastro Positivo e o Cadastro Negativo?

Elias Sfeir, presidente Executivo da Associação Nacional dos Bureaus de Crédito (ANBC)

“Essa é uma pergunta bastante feita em várias entrevistas que eu acabei dando. A diferença é que o Cadastro Negativo se concentra nos pagamentos que o consumidor não conseguiu realizar. Ou seja, é um cadastro de inadimplentes. Já o Cadastro Positivo inclui os pagamentos que os consumidores ou as empresas honraram. E ele relaciona-se muito com os bons pagadores”.

O nome do consumidor pode ser incluído no Cadastro Positivo sem autorização dele?

Elias Sfeir, presidente Executivo da Associação Nacional dos Bureaus de Crédito (ANBC)

“Com a nova legislação, todos terão seu nome incluído no primeiro momento. Mas a inclusão será comunicada ao consumidor em até 30 dias. Além disso, as informações do Cadastro só podem ser compartilhadas 60 dias após a abertura do Cadastro. E pode sair no momento que quiser”.

Elias, quem pode consultar as informações do Cadastro Positivo e que tipo de informação consta no Cadastro? Essa pergunta é interessante porque muitas críticas estão sendo feitas em relação à exposição dos dados dos consumidores.

Elias Sfeir, presidente Executivo da Associação Nacional dos Bureaus de Crédito (ANBC)

“As informações do Cadastro Positivo só podem ser usadas para análise de créditos e de negócios por empresas aptas a operar e receber dados positivos. E contam com a ferramenta adequada para garantir a segurança das informações".

O consumidor tem algum gasto para incluir o nome dele ou fazer alguma consulta no Cadastro? E após fazer parte, ele pode pedir a retirada do nome dele quando quiser?

Elias Sfeir, presidente Executivo da Associação Nacional dos Bureaus de Crédito (ANBC)

“Não. Nenhum custo vai entrar para consultar ou sair, se assim o consumidor preferir. Se ele quiser sair, ele sai no momento que ele quiser.

E pensando e uma escala mais abrangente, o novo Cadastro Positivo pode, de alguma forma, contribuir para o crescimento econômico do país?

Elias Sfeir, presidente Executivo da Associação Nacional dos Bureaus de Crédito (ANBC)

“Em países que têm Cadastro Positivo – são mais de 70 países no mundo – a economia é vibrante. A relação entre credor e consumidor é muito mais equilibrada, porque, uma vez o consumidor tendo a nota de crédito, ele também pode bater em vários agentes de crédito e negociar uma taxa mais justa para ele. E tem mais segurança para os agentes de crédito. A economia acaba se acelerando e traz todos os benefícios econômicos e sociais que um país precisa”.

Maravilha, Elias. Muito obrigado por aceitar o nosso convite e também, claro, pelos seus esclarecimentos sobre esse assunto. Esperamos contar com você em outras oportunidades. Esse foi o Agência Entrevista. Ficamos por aqui e até a próxima!
 

Fonte: Brasil 61

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.