Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

BALNEÁRIO CAMBORIÚ (SC): Cidade está em situação de alerta para mosquito Aedes aegypti

Salvar imagemTexto para rádio

Um dos destinos turísticos mais procurados de Santa Catarina, Balneário Camboriú está em situação de alerta para o Aedes aegypti. Em 2019, foram notificados 55 casos de dengue, contra seis em 2018. Para a chikungunya, houve, no ano passado, três registros importados da doença. Em relação à zika, não há notificações nos últimos dois anos. 

A diretora de Vigilância Ambiental de Balneário Camboriú, Eliane Guedes, aponta que um dos fatores que podem ter influenciado no aumento das notificações é a proximidade com municípios com números altos de casos. 

“Balneário Camboriú é um município turístico e está nos arredores de cidades que tiveram uma epidemia. Acaba afetando a cidade”.

Em Balneário Camboriú, o bairro das Nações e uma parte do centro da cidade foram onde ocorreram os maiores números de casos. Por isso, os agentes fazem mutirão nas casas para eliminar os focos.

O município realiza palestras e trabalha com o slogan “Dengue mata, não fique parado. Faça sua parte e elimine os focos do mosquito”.

De acordo com o Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde, Santa Catarina registrou, em 2019, 2,3 mil casos prováveis de dengue. No caso de chikungunya, foram 178 notificações. Em relação à zika, houve 20 notificações.

Diante dos números epidemiológicos, João Fuck, gerente de Vigilância de Zoonoses da Secretaria de Saúde do Estado de Santa Catarina, pede que a população tenha cuidado com materiais que possam contribuir para a proliferação do Aedes aegypti.

“Evite locais que acumulem água. Desde pequenos recipientes, lixo, até recipientes maiores que não vemos todos os dias, como caixas d’água, calhas e cisternas. Eliminar tudo que pode e adequar aqueles que não podem ser descartados”.

Se você, morador de Balneário Camboriú, quer solicitar a visita de agentes em sua residência, basta ligar no telefone do Programa de Combate à Dengue, no número (47) 3261-6264. Repetindo: (47) 3261-6264. Caso deseje fazer alguma reclamação sobre locais que podem ser de risco, entre em contato com a Ouvidoria Municipal pelo 0800-644-3388, ou pelo WhatsApp, no número (47) 99982-1979. Repetindo: (47) 99982-1979.

E você? Já combateu o mosquito hoje? A mudança começa dentro de casa. Proteja a sua família. Para mais informações, acesse saude.gov.br/combateaedes.  

Fonte: Brasil 61

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Um dos destinos turísticos mais procurados de Santa Catarina, Balneário Camboriú está em situação de alerta para o Aedes aegypti. Em 2019, foram notificados 55 casos de dengue, contra seis em 2018. Para a chikungunya, houve, no ano passado, três registros importados da doença. Em relação à zika, não há notificações nos últimos dois anos. 

A diretora de Vigilância Ambiental de Balneário Camboriú, Eliane Guedes, aponta que um dos fatores que podem ter influenciado no aumento das notificações é a proximidade com municípios com números altos de casos. 
 

TEC./SONORA: Eliane Guedes, diretora de Vigilância Ambiental. 

“Balneário Camboriú é um município turístico e está nos arredores de cidades que tiveram uma epidemia. Acaba afetando a cidade”.
 

LOC.: Em Balneário Camboriú, o bairro das Nações e uma parte do centro da cidade foram onde ocorreram os maiores números de casos. Por isso, os agentes fazem mutirão nas casas para eliminar os focos.

O município realiza palestras e trabalha com o slogan “Dengue mata, não fique parado. Faça sua parte e elimine os focos do mosquito”.

De acordo com o Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde, Santa Catarina registrou, em 2019, 2,3 mil casos prováveis de dengue. No caso de chikungunya, foram 178 notificações. Em relação à zika, houve 20 notificações.

Diante dos números epidemiológicos, João Fuck, gerente de Vigilância de Zoonoses da Secretaria de Saúde do Estado de Santa Catarina, pede que a população tenha cuidado com materiais que possam contribuir para a proliferação do Aedes aegypti.
 

TEC./SONORA: João Fuck, gerente de Vigilância de Zoonoses da Secretaria de Saúde do Estado de Santa Catarina.

“Evite locais que acumulem água. Desde pequenos recipientes, lixo, até recipientes maiores que não vemos todos os dias, como caixas d’água, calhas e cisternas. Eliminar tudo que pode e adequar aqueles que não podem ser descartados”.

LOC.: Se você, morador de Balneário Camboriú, quer solicitar a visita de agentes em sua residência, basta ligar no telefone do Programa de Combate à Dengue, no número (47) 3261-6264. Repetindo: (47) 3261-6264. Caso deseje fazer alguma reclamação sobre locais que podem ser de risco, entre em contato com a Ouvidoria Municipal pelo 0800-644-3388, ou pelo WhatsApp, no número (47) 99982-1979. Repetindo: (47) 99982-1979.

E você? Já combateu o mosquito hoje? A mudança começa dentro de casa. Proteja a sua família. Para mais informações, acesse saude.gov.br/combateaedes.