Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

SARAMPO E POLIOMIELITE: Campanha de vacinação termina nesta sexta-feira

A meta do Ministério da Saúde é vacinar 95% das crianças. A campanha começou no dia 8 de novembro e até agora, quase 11 milhões de crianças já foram vacinadas contra poliomielite e cerca de oito milhões, contra o sarampo

Salvar imagem

Tempo do áudio -02'53''

REPÓRTER: A Campanha Nacional de Vacinação contra poliomielite e o sarampo termina nesta sexta-feira, 12 de dezembro. A meta do Ministério da Saúde é vacinar 95% das crianças. A campanha começou no dia 8 de novembro e até agora, quase 11 milhões de crianças já foram vacinadas contra poliomielite e cerca de oito milhões, contra o sarampo. O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, pede empenho aos prefeitos, secretários municipais de saúde e todos que trabalham com saúde nos municípios que conscientizem as pessoas para que todas as crianças sejam vacinadas.

SONORA: secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde – Jarbas Barbosa

"O município que não atingir a meta, continue vacinando. Vá buscar naqueles locais que a criança não foi vacinada. Então o município deve olhar com bem atenção os seus dados, colocar equipe móvel, ir na feira, abrir no sábado, não deixar nenhuma família sem a oportunidade de vacinar os seus filhos."

REPÓRTER: A auxiliar de serviços gerais, Naiane Souza é mãe de dois filhos e logo na primeira semana da Campanha Nacional de Vacinação, levou a filha  de três anos para vacinar. Ela acredita que os pais não podem deixar de vacinar os filhos.

SONORA: auxiliar de serviços gerais – Naiane Souza

"Eu acho muito importante a vacinação. A criança não pode ficar sem vacinar, porque deixa a criança imune, ela cresce fortalecida, então eu arrumei um tempo, programei o tempo e fui. Se tem vacinação é porque é melhor para ela, por isso eu vacinei."

REPÓRTER: A poliomielite é uma doença infectocontagiosa grave e pode causar sérias lesões no sistema nervoso, como paralisia irreversível, ou seja, para a vida toda. Já o sarampo, é uma doença viral aguda grave e altamente contagiosa e a única forma de prevenção também é por meio da vacina. O sarampo pode matar. O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, reforça a importância de se imunizar contra as doenças.

SONORA: secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde – Jarbas Barbosa

"Esse esforço que a gente faz para vacinar toda uma faixa etária menores de cinco anos em uma determinada época do ano, têm uma proteção especifica que complementa a vacinação de rotina. E vamos lembrar que a pólio é uma doença gravíssima, que mata e deixa sequelas permanentes, e a outra é contra o sarampo. Por isso é importante prevenir. A criança ao ser vacinada contra o sarampo e contra a pólio fica totalmente prevenida e a gente continua mantendo o nosso país livre dessas duas doenças."

REPÓRTER: As vacinas estão disponíveis em 35 mil postos de vacinação espalhados pelo país.Devem tomar a vacina contra a poliomielite as crianças entre seis meses e cinco anos de idade incompletos. Já a vacina contra o sarampo é recomendada para crianças a partir de um ano e para aquelas que ainda não fizeram cinco anos. Para saber mais, acesse www.saude.gov.br

Reportagem, Diane Lourenço

Fonte: Brasil 61

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.