Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Ministério da Saúde

Ralos são potenciais criadouros do mosquito da dengue dentro de casa

Os ralos interligados precisam ser verificados com mais cuidado, porque a água empoçada de um pode escorrer para o outro, criando mais um foco para o mosquito.

Salvar imagemTexto para rádio

Qualquer local que acumule água é ideal para o mosquito transmissor da dengue, Zika e chikungunya depositar os ovos. Esse fator exige que cada pessoa elimine, pelo menos uma vez por semana, possíveis criadouros dentro de casa.

E um dos principais tipos de criadouros do Aedes aegypti é o ralo. 

Faça uma ronda de limpeza dos ralos, da cozinha, do banheiro, de varandas e quintais. Os ralos interligados precisam ser verificados com mais cuidado, porque a água empoçada de um pode escorrer para o outro, criando mais um foco para o mosquito.

Aqui vai uma recomendação: despeje água sanitária nessas instalações. Se for em um lugar de pouco uso, como churrasqueiras ou banheiros externos, a dica é cobrir com um tapete ou usar ralos que já vem com a tampa.

Rodrigo Said, coordenador-geral de Vigilância em Arboviroses do Ministério da Saúde reforça que a mobilização contra o mosquito deve começar dentro das casas.

“A gente chama a população para participar efetivamente para reduzir os criadouros dentro do seu domicílio. Então, é importante estar atento a limpeza das calhas, a verificação constante da presença de água em bandeja de ar-condicionado, geladeira.”

arb mais

É importante que você adote o hábito semanal de eliminar possíveis criadouros em casa e no quintal. Esses são os locais que concentram oitenta por cento dos focos. A medida é simples. Basta não deixar água parada em lugares inadequados. 

Então, anote aí a lista dos locais mais comuns onde o Aedes prolifera. 

Pratinhos de vasos de plantas. Limpe e encha esses objetos com areia até a borda; garrafas de vidro e latinhas vazias. Mantenha os frascos sempre de boca para baixo; piscinas: faça limpeza e manutenção periódicas, mesmo quando não estão em uso; sacos de lixo: feche bem e não deixe ao alcance de animais. 

Se ligue! Limpe bem a caixa d’água. Para isso, esvazie até que chegue a um nível de água de, mais ou menos, um palmo de altura. Esfregue as paredes e o fundo da caixa com escova. Quando terminar a limpeza, retire a água suja com balde e a sujeira com pá de plástico. E não se esqueça: sempre manter a caixa d’água fechada!

Dados do Ministério da Saúde revelam que, em 2019, foram notificados mais de um milhão e meio de casos prováveis de dengue, em todo país. A taxa de incidência, para cada grupo de 100 mil habitantes, ultrapassou 735 ocorrências. Apenas em janeiro de 2020, foram mais de 57 mil casos em todo o país. 

O Ministério da Saúde registrou, também, mais de 130 mil casos do chikungunya, que também é causada pelo mesmo vetor, Aedes aegypti. Já em janeiro 2020 foram mais de 2.300 casos. A zika, outra doença causada pelo mosquito, teve 10 mil registros em 2019.
E você? Já combateu o mosquito hoje? A mudança começa dentro de casa. Proteja a sua família. Para mais informações, acesse: saude.gov.br/combateaedes. Ministério da Saúde, Governo Federal. Pátria Amada Brasil.

ARB Mais

Continue Lendo

Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Qualquer local que acumule água é ideal para o mosquito transmissor da dengue, Zika e chikungunya depositar os ovos. Esse fator exige que cada pessoa elimine, pelo menos uma vez por semana, possíveis criadouros dentro de casa.

E um dos principais tipos de criadouros do Aedes aegypti é o ralo. 

Faça uma ronda de limpeza dos ralos, da cozinha, do banheiro, de varandas e quintais. Os ralos interligados precisam ser verificados com mais cuidado, porque a água empoçada de um pode escorrer para o outro, criando mais um foco para o mosquito.

Aqui vai uma recomendação: despeje água sanitária nessas instalações. Se for em um lugar de pouco uso, como churrasqueiras ou banheiros externos, a dica é cobrir com um tapete ou usar ralos que já vem com a tampa.

Rodrigo Said, coordenador-geral de Vigilância em Arboviroses do Ministério da Saúde reforça que a mobilização contra o mosquito deve começar dentro das casas.

TEC/SONORA: Rodrigo Said, coordenador-geral de Vigilância em Arboviroses do Ministério da Saúde
 

“A gente chama a população para participar efetivamente para reduzir os criadouros dentro do seu domicílio. Então, é importante estar atento a limpeza das calhas, a verificação constante da presença de água em bandeja de ar-condicionado, geladeira. ”

LOC.: É importante que você adote o hábito semanal de eliminar possíveis criadouros em casa e no quintal. Esses são os locais que concentram oitenta por cento dos focos. A medida é simples. Basta não deixar água parada em lugares inadequados. 

Então, anote aí a lista dos locais mais comuns onde o Aedes prolifera. 

Pratinhos de vasos de plantas. Limpe e encha esses objetos com areia até a borda; garrafas de vidro e latinhas vazias. Mantenha os frascos sempre de boca para baixo; piscinas: faça limpeza e manutenção periódicas, mesmo quando não estão em uso; sacos de lixo: feche bem e não deixe ao alcance de animais. 

Se ligue! Limpe bem a caixa d’água. Para isso, esvazie até que chegue a um nível de água de, mais ou menos, um palmo de altura. Esfregue as paredes e o fundo da caixa com escova. Quando terminar a limpeza, retire a água suja com balde e a sujeira com pá de plástico. E não se esqueça: sempre manter a caixa d’água fechada!

Dados do Ministério da Saúde revelam que, em 2019, foram notificados mais de um milhão e meio de casos prováveis de dengue, em todo país. A taxa de incidência, para cada grupo de 100 mil habitantes, ultrapassou 735 ocorrências. Apenas em janeiro de 2020, foram mais de 57 mil casos em todo o país. 
O Ministério da Saúde registrou, também, mais de 130 mil casos do chikungunya, que também é causada pelo mesmo vetor, Aedes aegypti. Já em janeiro 2020 foram mais de 2.300 casos. A zika, outra doença causada pelo mosquito, teve 10 mil registros em 2019.
E você? Já combateu o mosquito hoje? A mudança começa dentro de casa. Proteja a sua família. Para mais informações, acesse: saude.gov.br/combateaedes. Ministério da Saúde, Governo Federal. Pátria Amada Brasil.