Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Prefeitura manda Flamengo fechar Ninho do Urubu

Segundo o vice-presidente jurídico do Flamengo, assim que o Conselho Diretor tomar conhecimento da decisão, o clube vai decidir o que fazer

Salvar imagemTexto para rádio

Nesta sexta-feira (15), a Prefeitura do Rio de Janeiro mandou que o Flamengo feche o Centro de Treinamento do Ninho do Urubu, que sofreu incêndio e vitimou a vida de 10 atletas da base rubro-negra. A determinação foi dada em uma reunião com autoridades, com o intuito de cumprir a ordem de interdição de 2017.

Segundo o vice-presidente jurídico do Flamengo, Rodrigo Dunshee de Abranches, assim que o Conselho Diretor tomar conhecimento decisão, o clube vai decidir o que fazer.

“Quero esclarecer, antes de mais nada, que eu sou vice-presidente jurídico do Flamengo há 30 dias antes desse lamentável acidente. O Flamengo, tomando conhecimento de um ato administrativo, o Flamengo vai sentar para deliberar o que fazer ou não fazer. A alçada de deliberação desses assuntos é o Conselho Diretor, formado por 16 vice-presidentes e o presidente, isso vai acontecer na segunda-feira. A gente está tomando conhecimento principal dessa questão agora, eu acho que não seria justo exigir dessa gestão já a deliberação imediata de todas as questões”, afirmou.

No término da coletiva, após os jornalistas fazerem uma série de perguntas para o vice-presidente jurídico do Flamengo, o dirigente disse que não estava ali para dar detalhes da investigação, agradeceu e abandonou a coletiva.

Nesta semana, a Justiça fechou o local para menores, mas não atendeu o pedido do Ministério Público para fechar o CT completamente. Alguns setores já tinham sido interditados por ordem de auditores fiscais do trabalho, já que havia apresentado problemas nas instalações elétricas e a determinação era que o centro de treinamento funcionasse até esta sexta-feira (15).

O diretor financeiro do clube, Márcio Garotti, prestou depoimento durante mais de três horas, nesta sexta, na 42ª Delegacia de Polícia, no Recreio, zona oeste do Rio de Janeiro. A unidade é responsável pelas investigações, que ainda estão sob sigilo.

Além dele, representantes da empresa Novo Horizonte Jacarepaguá, fabricante dos contêineres, também foram ouvidos.
 

Fonte: <a href='https://www.brasil61.com/noticias/prefeitura-manda-flamengo-fechar-ninho-do-urubu-pran196589' target='_blank'>Brasil 61</a>

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.

Nesta sexta-feira (15), a Prefeitura do Rio de Janeiro mandou que o Flamengo feche o Centro de Treinamento do Ninho do Urubu, que sofreu incêndio e vitimou a vida de 10 atletas da base rubro-negra. A determinação foi dada em uma reunião com autoridades, com o intuito de cumprir a ordem de interdição de 2017.

Segundo o vice-presidente jurídico do Flamengo, Rodrigo Dunshee de Abranches, assim que o Conselho Diretor tomar conhecimento decisão, o clube vai decidir o que fazer.
 

“Quero esclarecer, antes de mais nada, que eu sou vice-presidente jurídico do Flamengo há 30 dias antes desse lamentável acidente. O Flamengo, tomando conhecimento de um ato administrativo, o Flamengo vai sentar para deliberar o que fazer ou não fazer. A alçada de deliberação desses assuntos é o Conselho Diretor, formado por 16 vice-presidentes e o presidente, isso vai acontecer na segunda-feira. A gente está tomando conhecimento principal dessa questão agora, eu acho que não seria justo exigir dessa gestão já a deliberação imediata de todas as questões.”

No término da coletiva, após os jornalistas fazerem uma série de perguntas para o vice-presidente jurídico do Flamengo, o dirigente disse que não estava ali para dar detalhes da investigação, agradeceu e abandonou a coletiva.

Nesta semana, a Justiça fechou o local para menores, mas não atendeu o pedido do Ministério Público para fechar o CT completamente. Alguns setores já tinham sido interditados por ordem de auditores fiscais do trabalho, já que havia apresentado problemas nas instalações elétricas e a determinação era que o centro de treinamento funcionasse até esta sexta-feira (15).

O diretor financeiro do clube, Márcio Garotti, prestou depoimento durante mais de três horas, nesta sexta, na 42ª Delegacia de Polícia, no Recreio, zona oeste do Rio de Janeiro. A unidade é responsável pelas investigações, que ainda estão sob sigilo.

Além dele, representantes da empresa Novo Horizonte Jacarepaguá, fabricante dos contêineres, também foram ouvidos.

Reportagem, Cintia Moreira