Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Foto: Divulgação

PARANÁ: Sem reforma, sistema previdenciário pode se tornar um caos, afirma Aline Sleutjes (PSL)

Estudo divulgado pela Instituição Fiscal Independente (IFI), do Senado, aponta que PR registrou déficit de R$ 4,8 bilhões nas contas da Previdência em 2017

Salvar imagemTexto para rádio

As contas da Previdência do estado do Paraná ficaram negativas em cerca de R$ 4,8 bilhões ou 13,2% da Receita Corrente Líquida (RCL) em 2017. Os dados são da Instituição Fiscal Independente (IFI), do Senado.

Diante do cenário das contas da Previdência em todo o Brasil, a deputada federal Aline Sleutjes, do PSL paranaense, avalia que, caso o sistema não seja reformado, o país entrará em um caos financeiro.  “Nós temos condições de permanecer com um projeto de Previdência ou nós vamos daqui a dois, três anos, entrar em um caos? Não teremos recurso para pagar nem quem já está aposentado e muito menos para quem vai se aposentar”, afirmou.

“Eu acredito que esse Congresso tem uma responsabilidade muito grande”, concluiu a parlamentar. 

Tramitação
Na última quinta-feira (13), o relator da reforma da Previdência na Comissão Especial da Câmara, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), apresentou seu parecer sobre a proposta. A redação modifica alguns pontos do texto original apresentado pelo governo.

As mudanças mais significativas são no regime de transição, nas regras da aposentadoria rural e de professores. Além disso, o texto também retira a possibilidade da criação do regime de capitalização via lei complementar.

O deputado Samuel Moreira também modificou as regras do abono salarial, salário-família e auxílio-reclusão. O parecer também eliminou as mudanças no Benefício de Prestação Continuada (BPC).

As alterações ainda atingiram estados e municípios, que foram retirados da proposta. No entanto, há a expectativa de que eles sejam reincluídos por meio de emendas que poderão ser apresentadas em Plenário.

Em todo o país, a soma das despesas previdenciárias dos estados chegou a R$ 158,8 bilhões, segundo levantamento da IFI. O valor corresponde a 1,2% do PIB e a 12,9% da receita corrente líquida (RCL).

Desequilíbrio previdenciário
Segundo o analista da Instituição Fiscal Independente (IFI) e consultor legislativo do Senado Josué Pellegrini, a reforma da Previdência é indispensável. “O desequilíbrio previdenciário é o nó central do desequilíbrio das contas públicas do país. E, sem equilibrar essas contas, será muito difícil criar condições de estabilidade para viabilizar o crescimento econômico, reduzir o desemprego, aumentar a produção”, ressalta o especialista.

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: As contas da Previdência do estado do Paraná ficaram negativas em cerca de R$ 4,8 bilhões ou 13,2% da Receita Corrente Líquida (RCL) em 2017. Os dados são da Instituição Fiscal Independente (IFI), do Senado.

Diante do cenário das contas da Previdência em todo o Brasil, a deputada federal Aline Sleutjes, do PSL paranaense, avalia que, caso o sistema não seja reformado, o país entrará em um caos financeiro.  

TEC./SONORA: Aline Sleutjes, deputado federal (PSL-PR)

“Nós temos condições de permanecer com um projeto de Previdência ou nós vamos daqui a dois, três anos, entrar em um caos? Não teremos recurso para pagar nem quem já está aposentado e muito menos para quem vai se aposentar. Eu acredito que esse Congresso tem uma responsabilidade muito grande.”

LOC.: Na última quinta-feira (13), o relator da reforma da Previdência na Comissão Especial da Câmara, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), apresentou seu parecer sobre a proposta. A redação modifica alguns pontos do texto original apresentado pelo governo.

As mudanças mais significativas são no regime de transição, nas regras da aposentadoria rural e de professores. Além disso, o texto também retira a possibilidade da criação do regime de capitalização via lei complementar.

Em todo o país, a soma das despesas previdenciárias dos estados chegou a R$ 158,8 bilhões, segundo levantamento da IFI. O valor corresponde a 1,2% do PIB e a 12,9% da receita corrente líquida (RCL).

Segundo o analista da Instituição Fiscal Independente (IFI) e consultor legislativo do Senado Josué Pellegrini, a reforma da Previdência é indispensável. 

TEC./SONORA: Josué Pellegrini, analista da Instituição Fiscal Independente (IFI) e consultor legislativo do Senado

“O desequilíbrio previdenciário é o nó central do desequilíbrio das contas públicas do país. E, sem equilibrar essas contas, será muito difícil criar condições de estabilidade para viabilizar o crescimento econômico, reduzir o desemprego, aumentar a produção.”
 

LOC.: O relatório da reforma da Previdência ainda não tem data definida para ser votado na Comissão Especial antes de seguir para análise do Plenário. A votação na Câmara se dará em dois turnos. Para ser aprovada, a reforma precisará de no mínimo de 308 votos favoráveis. Em seguida, o texto segue para análise no Senado. 

Reportagem, Sara Rodrigues