Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Foto: reprodução/Ministério da Saúde

Pará lidera coleta de leite humano no Norte, em 2019

O estado foi o que mais coletou em toda a região, nos primeiros quatro meses deste ano. No período, foram mais de 1,2 mil litros

Salvar imagemTexto para rádio

Quando o assunto é doação de leite humano no Norte, o Pará dá exemplo. Isso porque o estado foi o que mais coletou em toda a região, nos primeiros quatro meses deste ano. No período, foram mais de 1,2 mil litros – segundo a Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano, ligada à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Toda essa quantidade veio de mil e duzentas doadoras. Com a boa ação, essas mães ajudaram a nutrir e salvar mil e oitocentos bebês prematuros, de baixo peso ou portadores de doenças, internados nas Unidades de Terapia Intensiva Neonatais no estado. 

SERVIÇO: Saiba onde doar leite materno no Pará

Um exemplo de mamãe doadora é a administradora de empresas Bruna Rodrigues, de 30 anos. Por mais de um ano, ela, que mora em Belém, doou leite na Fundação Santa Casa do Pará. 

“Embora eu tivesse a vontade de doar, eu tinha medo da burocracia, se eu tivesse que me mobilizar daqui de casa e tudo mais. Mas foi tudo muito tranquilo. Eu fiz a ligação num dia e, no dia seguinte,a equipe do Corpo de Bombeiros já estava em casa com o frasco para disponibilizar. E a pessoa que foi fez toda a orientação de como fazer a coleta”, conta.

No último domingo (19), foi celebrado o Dia Nacional da Doação de Leite Humano. A ideia é mobilizar a população e as mulheres que amamentam para a importância deste ato. Isso porque autoridades de saúde avaliam que o número de doações ainda é baixo em relação à demanda. Segundo o Ministério da Saúde, a quantidade de leite humano coletado em todo o Brasil foi de 186 mil litros, em 2018. Esse volume representa 55% da real demanda por leite humano no Brasil. 

Em toda a região Norte, três mil e trezentos litros de leite materno foram distribuídos,entre janeiro a abril de 2019. A quantidade é um pouco maior do que o coletado, no mesmo período, apenas em Pernambuco – três mil e duzentos litros. 

Esse cenário reforça a importância da doação. A coordenadora do Banco de Leite Humano da Fundação da Santa Casa do Pará, Cynara Souza, explica como funciona o apoio da unidade para as mães fazerem a doação.

“O banco de leite humano disponibiliza frascos estéreis, touca e máscara. O quantitativo de frascos quem diz é a doadora. Ela não precisa higienizar esse material. Basta que faça a higiene das mãos e mamas, retire o seu leite e armazene no congelador. Ela não precisa sair de casa para pegar o material e para deixar a sua doação no banco de leite humano”, explica.

Então, mãe, você ouviu o exemplo da Bruna, que doou por mais de um ano, e a orientação da coordenadora Cynara. Se você, que estiver grávida ou já deu à luz, e tiver mais dúvidas sobre a doação de leite materno, procure o banco de leite humano mais próximo de casa.

Para ajudar recém-nascidos, basta entrar em contato com a unidade de referência no estado – o Banco de Leite Humano da Santa Casa do Pará, em Belém. O número é (91) 4009-2274. Repetindo: (91) 4009-2274. Além deste ponto de coleta, o Pará possui mais quatro bancos de leite humano, em Marituba, Bragança e Marabá. 

Doe leite materno, alimente a vida. Para mais informações, acesse saude.gov.br/doacaodeleite

Fonte: <a href='https://www.brasil61.com/noticias/para-lidera-coleta-de-leite-humano-no-norte-em-2019-amam190103' target='_blank'>Brasil 61</a>

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.


LOC.: Quando o assunto é doação de leite humano no Norte, o Pará dá exemplo. Isso porque o estado foi o que mais coletou em toda a região, nos primeiros quatro meses deste ano. No período, foram mais de 1,2 mil litros – segundo a Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano, ligada à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Toda essa quantidade veio de mil e duzentas doadoras. Com a boa ação, essas mães ajudaram a nutrir e salvar mil e oitocentos bebês prematuros, de baixo peso ou portadores de doenças, internados nas Unidades de Terapia Intensiva Neonatais no estado. 

Um exemplo de mamãe doadora é a administradora de empresas Bruna Rodrigues, de 30 anos. Por mais de um ano, ela, que mora em Belém, doou leite na Fundação Santa Casa do Pará. 
 

TEC/SONORA: Bruna Rodrigues, doadora de leite e administradora

“Embora eu tivesse a vontade de doar, eu tinha medo da burocracia, se eu tivesse que me mobilizar daqui de casa e tudo mais. Mas foi tudo muito tranquilo. Eu fiz a ligação num dia e, no dia seguinte,a equipe do Corpo de Bombeiros já estava em casa com o frasco para disponibilizar. E a pessoa que foi fez toda a orientação de como fazer a coleta.”
 

LOC.: No último domingo (19), foi celebrado o Dia Nacional da Doação de Leite Humano. A ideia é mobilizar a população e as mulheres que amamentam para a importância deste ato. Isso porque autoridades de saúde avaliam que o número de doações ainda é baixo em relação à demanda. Segundo o Ministério da Saúde, a quantidade de leite humano coletado em todo o Brasil foi de 186 mil litros, em 2018. Esse volume representa 55% da real demanda por leite humano no Brasil. 

Em toda a região Norte, três mil e trezentos litros de leite materno foram distribuídos,entre janeiro a abril de 2019. A quantidade é um pouco maior do que o coletado, no mesmo período, apenas em Pernambuco – três mil e duzentos litros. 

Esse cenário reforça a importância da doação. A coordenadora do Banco de Leite Humano da Fundação da Santa Casa do Pará, Cynara Souza, explica como funciona o apoio da unidade para as mães fazerem a doação.
 

TEC/SONORA: Cynara Souza, coordenadora do Banco de Leite Humano da Fundação da Santa Casa do Pará. 

“O banco de leite humano disponibiliza frascos estéreis, touca e máscara. O quantitativo de frascos quem diz é a doadora. Ela não precisa higienizar esse material. Basta que faça a higiene das mãos e mamas, retire o seu leite e armazene no congelador. Ela não precisa sair de casa para pegar o material e para deixar a sua doação no banco de leite humano.”
 

LOC.: Então, mãe, você ouviu o exemplo da Bruna, que doou por mais de um ano, e a orientação da coordenadora Cynara. Se você, que estiver grávida ou já deu à luz, e tiver mais dúvidas sobre a doação de leite materno, procure o banco de leite humano mais próximo de casa.

Para ajudar recém-nascidos, basta entrar em contato com a unidade de referência no estado – o Banco de Leite Humano da Santa Casa do Pará, em Belém. O número é (91) 4009-2274. Repetindo: (91) 4009-2274. Além deste ponto de coleta, o Pará possui mais quatro bancos de leite humano, em Marituba, Bragança e Marabá. 

Doe leite materno, alimente a vida. Para mais informações, acesse saude.gov.br/doacaodeleite. Ministério da Saúde.