Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Marcello Casal Jr

Para aprovar reforma administrativa, Bolsonaro admite recriar ministério das Cidades

A ideia teria partido de parlamentares e dos presidentes da Câmara e Senado

Salvar imagemTexto para rádio

O presidente Jair Bolsonaro admitiu nesta terça-feira (7) a possibilidade de que sejam recriados ministérios em seu governo. De acordo com o próprio presidente, a ideia, à princípio, de se recriar o ministério das Cidades partiu dos chefes das duas Casas do Congresso e de outros parlamentares.

“Houve hoje uma conversa com o presidente da Câmara, do Senado, entre outros, e eles manifestaram a intenção de recriar o ministério das Cidades. Eles vieram de forma bastante objetiva tratar disso comigo. Eu não criei dificuldades em relação a isso. Apenas que o futuro ministro, caso seja criado esse ministério, venha da indicação da frente parlamentar dos municípios, das cidades", afirmou.

O governo tem encontrado dificuldades para votar e aprovar a Medida Provisória da Reforma Administrativa na Comissão Especial do Congresso que debate o assunto. A permanência do Conselho de Controle de Atividades Financeiras, o Coaf, no Ministério da Justiça, tem gerado controvérsia entre os parlamentares. Para alguns congressistas, a manutenção do órgão na Justiça geraria uma concentração de poder muito grande nas mãos de Sergio Moro. O governo, porém, não quer abrir mão deste ponto e, por isso, negocia outros trechos da reforma administrativa.

Fonte: <a href='https://www.brasil61.com/noticias/para-aprovar-reforma-administrativa-bolsonaro-admite-recriar-ministerio-das-cidades-pran197128' target='_blank'>Brasil 61</a>

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.

O presidente Jair Bolsonaro admitiu nesta terça-feira (7) a possibilidade de que sejam recriados ministérios em seu governo. De acordo com o próprio presidente, a ideia, à princípio, de se recriar o ministério das Cidades partiu dos chefes das duas Casas do Congresso e de outros parlamentares.

“A nossa Medida Provisória que trata da reestruturação de cargos está no Congresso Nacional. E houve hoje uma conversa com o presidente da Câmara, do Senado, entre outros, e eles manifestaram a intenção de recriar o ministério das Cidades. Eles vieram de forma bastante objetiva tratar disso comigo. Eu não criei dificuldades em relação a isso. Apenas que o futuro ministro, caso seja criado esse ministério, venha da indicação da frente parlamentar dos municípios, das cidades.”

O governo tem encontrado dificuldades para votar e aprovar a Medida Provisória da Reforma Administrativa na Comissão Especial do Congresso que debate o assunto. A permanência do Conselho de Controle de Atividades Financeiras, o Coaf, no Ministério da Justiça, tem gerado controvérsia entre os parlamentares. Para alguns congressistas, a manutenção do órgão na Justiça geraria uma concentração de poder muito grande nas mãos de Sergio Moro. O governo, porém, não quer abrir mão deste ponto e, por isso, negocia outros trechos da reforma administrativa.

Reportagem, João Paulo Machado