Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Créditos: Reprodução/Youtube

Mulher que acusa Neymar de estupro afirma em depoimento que vídeo que prova crime estava em aparelho roubado

Modelo não soube responder quando foi perguntada pelos investigadores se teria armazenado a íntegra do vídeo em outro lugar, mas reafirmou que o jogador teria tido relações sexuais sem seu consentimento

Salvar imagemTexto para rádio

A modelo Najila Trindade Mendes de Souza, que acusa o jogador Neymar de estupro, prestou depoimento na 6ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), em São Paulo. Ela afirmou à delegada Juliana Lopes Bussacos que não poderia entregar o vídeo na íntegra do segundo encontro com o atleta em Paris, pois o tablet onde estava o conteúdo foi roubado.

Os esclarecimentos duraram mais de seis horas. Sobre o furto do aparelho, Najila afirmou que o apartamento onde estava foi arrombado e que sentiu falta de um relógio, do tablet e de uma quantia em dinheiro. Uma análise da polícia, no entanto, checou as impressões digitais no imóvel e concluiu que apenas a modelo e a empregada estiveram no local. Ao ser questionada porque não registrou o furto do equipamento, Najila disse que não tinha certeza de tudo que havia sido levado.

A modelo não soube responder quando foi perguntada pelos investigadores se a íntegra vídeo do encontro com Neymar não estaria armazenada em outro lugar. Sobre o suposto crime de estupro, Najila reafirmou que o jogador teria tido relações sexuais sem seu consentimento.

Próximo ao fim do depoimento, Najila passou mal, teve crises de choro e saiu carregada pelo advogado. A polícia de São Paulo deve ouvir Neymar nas próximas semanas. O atacante já prestou depoimento na Polícia Civil do Rio de Janeiro na última quinta-feira (6) sobre a acusação de ter vazado nas redes sociais fotos e vídeos íntimos de Najila.

Continue Lendo

Receba nossos conteúdos em primeira mão.

A modelo Najila Trindade Mendes de Souza, que acusa o jogador Neymar de estupro, prestou depoimento na 6ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), em São Paulo. Ela afirmou à delegada Juliana Lopes Bussacos que não poderia entregar o vídeo na íntegra do segundo encontro com o atleta em Paris, pois o tablet onde estava o conteúdo foi roubado.

Os esclarecimentos duraram mais de seis horas. Sobre o furto do aparelho, Najila afirmou que o apartamento onde estava foi arrombado e que sentiu falta de um relógio, do tablet e de uma quantia em dinheiro. Uma análise da polícia, no entanto, checou as impressões digitais no imóvel e concluiu que apenas a modelo e a empregada estiveram no local. Ao ser questionada porque não registrou o furto do equipamento, Najila disse que não tinha certeza de tudo que havia sido levado.

A modelo não soube responder quando foi perguntada pelos investigadores se a íntegra vídeo do encontro com Neymar não estaria armazenada em outro lugar. Sobre o suposto crime de estupro, Najila reafirmou que o jogador teria tido relações sexuais sem seu consentimento.

Próximo ao fim do depoimento, Najila passou mal, teve crises de choro e saiu carregada pelo advogado. A polícia de São Paulo deve ouvir Neymar nas próximas semanas. O atacante já prestou depoimento na Polícia Civil do Rio de Janeiro na última quinta-feira (6) sobre a acusação de ter vazado nas redes sociais fotos e vídeos íntimos de Najila.

Reportagem, Raphael Costa