Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Foto: Divulgação/Prefeitura de Araraquara

Ministério da Saúde faz aquisição de 3,3 mil respiradores de produção nacional

Os equipamentos são utilizados em pacientes com situação grave da doença, ou seja, pacientes que não conseguem respirar sozinhos e precisam do equipamento para auxiliar na respiração

Salvar imagemTexto para rádio

O Ministério da Saúde adquiriu mais 3,3 mil respiradores para o combate à Covid-19 no Brasil. O contrato foi assinado nesta segunda-feira (20), com empresa brasileira. Com a nova aquisição o Sistema Único de Saúde (SUS), conta agora com 14.100 respiradores e ventiladores pulmonares para enfrentar a pandemia do novo coronavírus. Os equipamentos são utilizados em pacientes com situação grave da doença, ou seja, pacientes que não conseguem respirar sozinhos e precisam do equipamento para auxiliar na respiração.   De acordo com o ministro da Saúde, Nelson Teich, os primeiros aparelhos devem ser entregues em maio deste ano.

“Além dessa parte do diagnóstico, a gente tem também a parte de tratamento, de cuidado. Porque a gente tem hoje a compra de respiradores. Hoje foram comprados 3.300 respiradores. Desses 3.300, 1.150 vão ser entregues em maio. A compra dos aparelhos representou um investimento de R$ 78 milhões por parte do ministério. Essa combinação do diagnóstico, do tratamento e da preparação para a saída do distanciamento social, isso faz parte da estratégia da abordagem da Covid-19”.

Este é o terceiro contrato de compra que o Ministério da Saúde assina com empresas nacionais para a fabricação dos aparelhos de ventilação e respiratórios.  Ao todo já foram investidos R$ 658, 5 milhões. Segundo o ministro o país está trabalhando com três pontos fundamentais para reduzir os impactos da Covid-19.

“Com isso a gente está atuando em três braços que são fundamentais.  Um entender melhor a doença, fazer o diagnóstico, entender a evolução. A segunda é preparar a infraestrutura para o tratamento nesse tempo que a gente está afastado e que vai ser usado para preparar para o cuidado e o terceiro que a gente vai com essa preparação desenhar esse programa de saída progressiva, estruturada e planejada do distanciamento social”. 

As aquisições dos aparelhos respiratórios é mais uma medida do Ministério da Saúde para garantir assistência a pacientes graves atendidos na rede pública de saúde.

Para mais informações, acesse saude.gov.br/coronavirus.  

Continue Lendo

Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: O Ministério da Saúde adquiriu mais 3,3 mil respiradores para o combate à Covid-19 no Brasil. O contrato foi assinado nesta segunda-feira (20), com empresa brasileira. Com a nova aquisição o Sistema Único de Saúde (SUS), conta agora com 14.100 respiradores e ventiladores pulmonares para enfrentar a pandemia do novo coronavírus. Os equipamentos são utilizados em pacientes com situação grave da doença, ou seja, pacientes que não conseguem respirar sozinhos e precisam do equipamento para auxiliar na respiração.   De acordo com o ministro da Saúde, Nelson Teich, os primeiros aparelhos devem ser entregues em maio deste ano.

TEC./SONORA: ministro da Saúde - Nelson Teich
 

“Além dessa parte do diagnóstico, a gente tem também a parte de tratamento, de cuidado. Porque a gente tem hoje a compra de respiradores. Hoje foram comprados 3.300 respiradores. Desses 3.300, 1.150 vão ser entregues em maio. A compra dos aparelhos representou um investimento de R$ 78 milhões por parte do ministério. Essa combinação do diagnóstico, do tratamento e da preparação para a saída do distanciamento social, isso faz parte da estratégia da abordagem da Covid-19”.

LOC.: Este é o terceiro contrato de compra que o Ministério da Saúde assina com empresas nacionais para a fabricação dos aparelhos de ventilação e respiratórios.  Ao todo já foram investidos R$ 658, 5 milhões. Segundo o ministro o país está trabalhando com três pontos fundamentais para reduzir os impactos da Covid-19.

TEC./SONORA: ministro da Saúde - Nelson Teich
 

“Com isso a gente está atuando em três braços que são fundamentais.  Um entender melhor a doença, fazer o diagnóstico, entender a evolução. A segunda é preparar a infraestrutura para o tratamento nesse tempo que a gente está afastado e que vai ser usado para preparar para o cuidado e o terceiro que a gente vai com essa preparação desenhar esse programa de saída progressiva, estruturada e planejada do distanciamento social”. 

LOC.: As aquisições dos aparelhos respiratórios é mais uma medida do Ministério da Saúde para garantir assistência a pacientes graves atendidos na rede pública de saúde.
Para mais informações, acesse saude.gov.br/coronavirus.