Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Foto: Divulgação

Microrregião de Lins (SP) confirma mais de 370 casos de dengue e autoridades pedem empenho da população no combate ao Aedes

Os municípios de Lins, Guaimbê e Júlio Mesquita são os mais afetados, com 335 confirmações da doença

Salvar imagemTexto para rádio

A microrregião de Lins (SP), no Centro-Oeste paulista, registrou, entre janeiro e fevereiro deste ano, mais de 865 casos notificados de dengue. Os dados são da Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo. Segundo o último Boletim Epidemiológico divulgado pelo órgão, o número de casos confirmados chegou a 372, nesse período. Os municípios de Lins, Guaimbê e Júlio Mesquita são os mais afetados, com 335 confirmações da doença.

Diante desse cenário, as autoridades de saúde pedem o apoio da população no combate ao mosquito e recomendam que cada um tire, pelo menos, um dia da semana para fazer uma busca geral por focos dentro de casa.

O estado de São Paulo registrou 19 mortes em decorrência da dengue em 2020, segundo o Boletim Epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde em março. Em relação à chikungunya, outra doença transmitida pelo Aedes aegypti, o estado teve 391 casos prováveis notificados. Já a Zika é responsável por 131 ocorrências entre os paulistas.

O Secretário de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde, Wanderson Oliveira, alerta que o período de maior incidência da dengue no país vai coincidir, muito provavelmente, com o pico de contaminação do COVID-19 e, por isso, é fundamental que a população aproveite a quarentena para, também, se proteger do mosquito transmissor.

“Nós teremos, pelo menos, três epidemias simultâneas: coronavírus, que é uma novidade; teremos Influenza, que é uma rotina, todo ano acontece, e teremos, também, o pico de dengue. Então, é fundamental, e eu tenho chamado atenção, aproveitem que estão em casa e limpem o quintal, eliminem os focos de dengue”.

E você? Já combateu o mosquito hoje? A mudança começa dentro de casa. Proteja a sua família. Para mais informações, acesse saude.gov.br/combateaedes. 

Continue Lendo

Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.:  A microrregião de Lins (SP), no Centro-Oeste paulista, registrou, entre janeiro e fevereiro deste ano, mais de 865 casos notificados de dengue. Os dados são da Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo. Segundo o último Boletim Epidemiológico divulgado pelo órgão, o número de casos confirmados chegou a 372, nesse período. Os municípios de Lins, Guaimbê e Júlio Mesquita são os mais afetados, com 335 confirmações da doença.

Diante desse cenário, as autoridades de saúde pedem o apoio da população no combate ao mosquito e recomendam que cada um tire, pelo menos, um dia da semana para fazer uma busca geral por focos dentro de casa.

O estado de São Paulo registrou 19 mortes em decorrência da dengue em 2020, segundo o Boletim Epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde em março. Em relação à chikungunya, outra doença transmitida pelo Aedes aegypti, o estado teve 391 casos prováveis notificados. Já a Zika é responsável por 131 ocorrências entre os paulistas.

O Secretário de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde, Wanderson Oliveira, alerta que o período de maior incidência da dengue no país vai coincidir, muito provavelmente, com o pico de contaminação do COVID-19 e, por isso, é fundamental que a população aproveite a quarentena para, também, se proteger do mosquito transmissor.

TEC/SONORA: Secretário de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde, Wanderson Oliveira

“Nós teremos, pelo menos, três epidemias simultâneas: coronavírus, que é uma novidade; teremos Influenza, que é uma rotina, todo ano acontece, e teremos, também, o pico de dengue. Então, é fundamental, e eu tenho chamado atenção, aproveitem que estão em casa e limpem o quintal, eliminem os focos de dengue”.

Entre as medidas de prevenção, o Ministério da Saúde recomenda ainda tampar os tonéis e caixas d'água, mantenha as calhas sempre limpas; deixar garrafas sempre viradas com a boca para baixo, manter lixeiras bem tampadas e preencher pratos de vasos de plantas com areia.

LOC.: E você? Já combateu o mosquito hoje? A mudança começa dentro de casa. Proteja a sua família. Para mais informações, acesse saude.gov.br/combateaedes.