Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Isolamento Social Foto: Tomaz Silva Agência Brasil

Fiocruz elabora relatório para auxiliar o Rio de Janeiro com as medidas de distanciamento social

O documento foi produzido pelo Grupo de Trabalho sobre Distanciamento Social no âmbito do Observatório Covid-19 da Fiocruz

Salvar imagemTexto para rádio

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), elaborou um relatório a pedido do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), para auxiliar o estado sobre as medidas de distanciamento social na região. O documento foi produzido pelo Grupo de Trabalho sobre Distanciamento Social no âmbito do Observatório Covid-19 da Fiocruz.

De acordo com o relatório as medidas de distanciamento social devem ser encaradas como temporárias e devem estar combinadas com as ações de fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS). Entre elas, a capacidade de vigilância e controle da transmissão da doença, como nas relacionadas à rede de saúde, incluindo leitos hospitalares e UTIs, por exemplo.

Os pesquisadores destacaram também as medidas distanciamento social, mesmo sendo importantes para o enfrentamento da Covid-19, não devem ser tratadas como um fim em si mesmas, pois o seu prolongamento também contribui para outros impactos na saúde, como os relacionados à saúde mental ou a violência doméstica. 

O grupo de trabalho ressaltou que três questões são fundamentais para o distanciamento social: primeiro que as decisões, para serem seguras, devem ser tomadas com bases em dados e evidências científicas sobre a Covid-19.  Considerando a necessidade de dados regulares e confiáveis sobre a evolução da pandemia. Além da e informações sobre a infraestrutura dos serviços, equipamentos e insumos disponíveis no SUS.

E segundo lugar os pesquisadores destacam para os critérios de entrada e saída do isolamento social. Para o grupo de trabalho a decisão deve ser tomada com ampla participação da sociedade, que precisa estar bem informada e envolvida nesse processo, assim como da sociedade civil, de empresários, do setor público, do judiciário, do legislativo e das esferas de governo.

Em terceiro e por fim, o grupo aponta que estudos demonstram que a pandemia já resulta em grandes impactos econômicos e sociais, e que sem a adoção de medidas de distanciamento social, estes custos serão ainda maiores. Neste cenário de intermitências da pandemia e de medidas de distanciamento social, mais do que nunca se faz necessário tanto fortalecer as medidas de proteção social, como também reorganizar a economia e as atividades sociais para reduzir estes impactos.

Fonte: <a href='https://www.brasil61.com/noticias/fiocruz-elabora-relatorio-para-auxiliar-o-rio-de-janeiro-com-as-medidas-de-distanciamento-social-bras200221' target='_blank'>Brasil 61</a>

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), elaborou um relatório a pedido do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), para auxiliar o estado sobre as medidas de distanciamento social na região. O documento foi produzido pelo Grupo de Trabalho sobre Distanciamento Social no âmbito do Observatório Covid-19 da Fiocruz.

De acordo com o relatório as medidas de distanciamento social devem ser encaradas como temporárias e devem estar combinadas com as ações de fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS). Entre elas, a capacidade de vigilância e controle da transmissão da doença, como nas relacionadas à rede de saúde, incluindo leitos hospitalares e UTIs, por exemplo.

Os pesquisadores destacaram também as medidas distanciamento social, mesmo sendo importantes para o enfrentamento da Covid-19, não devem ser tratadas como um fim em si mesmas, pois o seu prolongamento também contribui para outros impactos na saúde, como os relacionados à saúde mental ou a violência doméstica. 

O grupo de trabalho ressaltou que três questões são fundamentais para o distanciamento social: primeiro que as decisões, para serem seguras, devem ser tomadas com bases em dados e evidências científicas sobre a Covid-19.  Considerando a necessidade de dados regulares e confiáveis sobre a evolução da pandemia. Além da e informações sobre a infraestrutura dos serviços, equipamentos e insumos disponíveis no SUS.

E segundo lugar os pesquisadores destacam para os critérios de entrada e saída do isolamento social. Para o grupo de trabalho a decisão deve ser tomada com ampla participação da sociedade, que precisa estar bem informada e envolvida nesse processo, assim como da sociedade civil, de empresários, do setor público, do judiciário, do legislativo e das esferas de governo.

Em terceiro e por fim, o grupo aponta que estudos demonstram que a pandemia já resulta em grandes impactos econômicos e sociais, e que sem a adoção de medidas de distanciamento social, estes custos serão ainda maiores. Neste cenário de intermitências da pandemia e de medidas de distanciamento social, mais do que nunca se faz necessário tanto fortalecer as medidas de proteção social, como também reorganizar a economia e as atividades sociais para reduzir estes impactos.