Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Foto: Divulgação

Equipe de robótica do SESI de Rio Negro (PR) disputa etapa nacional de torneio de robótica, no Rio de Janeiro

Disputa começa nesta sexta-feira (15) e segue até domingo (17), no Rio de Janeiro

Salvar imagemTexto para rádio

Alunos do Serviço Social da Indústria (SESI) de Rio Negro, no Paraná, vão participar da etapa nacional do Torneio SESI de Robótica FIRST® LEGO® League, que vai ocorrer no Rio de Janeiro (RJ), a partir desta sexta-feira (15). A competição, que reúne outras nove equipes de robótica do estado e 75 times de todo o Brasil, segue até domingo (17).

Para esta temporada, com o tema “Into Orbit”, que em inglês significa “no espaço”, a equipe “The Gears”, composta por 10 estudantes e três mentores, desenvolveu um aplicativo para cuidar da saúde física e mental dos astronautas. A ideia é que o astronauta registre, diariamente, o que está sentindo, desde dores físicas até problemas emocionais. O próprio aplicativo é programado para interagir e auxiliar o astronauta, mas os profissionais de saúde também podem ter acesso aos relatos e fazer uma espécie de triagem.
 
“O principal objetivo desse software é facilitar o contato entre o astronauta e o médico aqui na Terra porque, atualmente, ele é feito por videoconferência, mas, às vezes, ele colocando ali todo dia se teve alguma coisa diferente, o médico vai perceber antes e pode intervir”, explica a integrante da equipe Marina Schelbauer Toso, 16 anos.

Marina está no terceiro ano do ensino médio e conta que a robótica trouxe muitos conhecimentos e perspectivas. “Hoje, a minha oratória melhorou muito e [a robótica] até [me] ajuda numa profissão para o futuro porque hoje eu já consigo pensar numa profissão”, afirma a estudante, que pretende seguir na área de engenharia.

O torneio possui três tipos de avaliação: Projeto de Pesquisa para colocar as ideias no papel; Design do Robô para desenvolvê-lo; Desafio do Robô, quando a equipe tem de cumprir missões com o próprio robô; e por fim, a Core Values, quando é avaliado o trabalho em equipe.

De acordo com o professor de oficinas tecnológicas do SESI de Rio Negro e técnico da equipe, Júlio Nestor Martins, a robótica incentiva os estudantes a buscarem conhecimentos técnicos em diversas áreas e a trabalharem em equipe, o que é, segundo o professor, um diferencial também do colégio. “O SESI prepara os alunos não apenas para obter conhecimento; prepara para saber trabalhar e se inserir no mercado já com uma experiência social bem avançada”, destaca.

Crédito: Ítalo Novais | Agência do Rádio MaisO torneio
O desafio da temporada, “Into Orbit”, explora a temática espacial, envolvendo satélites, comunicação, sobrevivência e aspectos psicológicos a que os astronautas estão sujeitos em uma viagem espacial. O objetivo é fazer com que os estudantes ingressem no mundo da ciência e tecnologia de uma forma divertida, a partir da construção e programação de robôs feitos com peças de Lego.

Crianças e jovens de nove a 16 anos podem participar do Torneio de Robótica First Lego League. Cada equipe deve ter obrigatoriamente dois treinadores: técnico e mentor; e de dois a dez competidores. As equipes precisam resolver um conjunto de problemas do mundo real, os mesmos vivenciados por profissionais como cientistas e engenheiros. 

Quer saber mais sobre robótica?
Acesse: http://www.portaldaindustria.com.br/sesi/canais/torneio-de-robotica/
 

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Estudantes do SESI de Rio Negro, no Paraná, vão participar da etapa nacional Torneio SESI de Robótica FIRST® LEGO® League, neste fim de semana, no Rio de Janeiro. Eles fazem parte da equipe de robótica da escola e criaram um aplicativo para cuidar da saúde física e mental dos astronautas. A ideia é que o astronauta registre, diariamente, o que está sentindo, desde dores físicas até problemas emocionais. A integrante da equipe, Marina Schelbauer Toso, 16 anos, explica que o próprio aplicativo é programado para interagir e auxiliar o astronauta, mas os profissionais de saúde também podem ter acesso aos relatos e fazer uma espécie de triagem.

TEC./SONORA: Marina Schelbauer Toso, estudante

“O principal motivo desse software é facilitar o contato entre o astronauta e o médico aqui na terra porque, atualmente, ele é feito por videoconferência, mas às vezes ele colocando ali todo dia se teve alguma coisa diferente, o médico vai perceber antes e pode intervir.”
 

LOC.: O professor de oficinas tecnológicas do SESI de Rio Negro e técnico da equipe, Júlio Nestor Martins, destaca que a robótica incentiva os estudantes a buscarem conhecimentos técnicos em diversas áreas e a trabalharem em equipe. Para ele, também é um diferencial da escola. 

TEC./SONORA: Júlio Nestor Martins, professor do SESI de Rio Negro e técnico da equipe

“Como professor, eu vejo até uma possibilidade da decisão do que eles vão fazer para a vida e é mais uma área que eles têm um conhecimento mais aprofundado. Foge um pouco do tradicional. O SESI foge muito já do tradicional, prepara os alunos não apenas para obter conhecimento, prepara para saber trabalhar e se inserir no mercado já com uma experiência social bem avançada.”
 

LOC.: O SESI é o responsável pela realização do torneio no Brasil.  O objetivo é fazer com que os estudantes conheçam o mundo da ciência e tecnologia de uma forma divertida, a partir da construção e programação de robôs feitos com peças de Lego. A etapa nacional do Torneio SESI de Robótica FIRST® LEGO® League começa nesta sexta-feira, dia 15, e segue até domingo, 17 de março. 

Reportagem, Aline Dias