Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Equipe de robótica de Esteio (RS) desenvolve capacete para diminuir ansiedade de astronautas

Equipe Androids, do Instituto São Francisco Coração de Maria, vai disputar etapa nacional do Torneio SESI de Robótica, em março

Salvar imagemTexto para rádio

A equipe de robótica do Instituto São Francisco Coração de Maria, em Esteio, no Rio Grande do Sul, desenvolveu um capacete capaz de diminuir estresse e ansiedade de astronautas no espaço. A equipe Androids, formada em 2010, venceu a etapa regional do Torneio SESI de Robótica FIRST® LEGO® League, em outubro de 2018. Agora, o time almeja vencer a etapa nacional da competição, que será disputada de 15 a 17 de março, no Rio de Janeiro. 

A equipe Androids é formada por seis alunos e dois professores. O projeto do capacete consiste em uma mistura de imagem e som, em um dispositivo de realidade virtual. “O astronauta, dependendo do tempo que fica no espaço, se ele fica muito tempo no espaço, fica com essa questão de saudade da Terra, saudade dos familiares, e aquela coisa começa a criar uma ansiedade. Precisam toda hora ficar muito focados no serviço para que essa questão de ansiedade não tome conta”, diz o professor e técnico do time, Gilmar Alves Ferreira. 

Arquivo Pessoal Equipe Androids

A estudante do nono ano do ensino fundamental do Instituto São Francisco, Eduarda Carvalho, faz parte da equipe. “É um diferencial muito grande dos torneios do SESI, porque te colocam em contato com programas, com conteúdo que nós não temos no nosso dia-a-dia”. 

Para Eduarda, o espírito da equipe não é só o de vencer a competição, mas sim o de aprender. “A gente sempre se apoiou muito. Sempre procurou fazer o melhor que a gente podia. Então acho que esse é o principal. Não querer ser o melhor, mas com foco de aprender”. 

O estado do Rio Grande do Sul será representado por 89 estudantes, do ensino fundamental e médio, na etapa nacional do Torneio SESI de Robótica. A equipe Androids tem tradição na competição. Na etapa nacional de 2017, conseguiu classificação para o mundial, na Austrália, e foram contemplados com o primeiro lugar. 

Torneio de Robótica

O desafio da temporada, “Into Orbit”, explora a temática espacial, envolvendo satélites, comunicação, sobrevivência e aspectos psicológicos em que os astronautas estão sujeitos em uma viagem espacial. O objetivo é fazer com que os estudantes ingressem no mundo da ciência e tecnologia de uma forma divertida, a partir da construção e programação de robôs feitos com peças de Lego. Podem participar crianças e jovens de nove a 16 anos. 

“Nós temos conseguido uma grande participação com escolas públicas, escolas particulares, além de equipes de garagem, o que faz com que a gente tenha trazido para este movimento o entendimento que a tecnologia é a nossa maior ferramenta para que a gente possa enfrentar os desafios do século XXI”, diz a gerente da área de Educação do SESI do Rio Grande do Sul, Sônia Bier. 
 
Saiba Mais

ARB Mais

Fonte: Brasil 61

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Com o objetivo de diminuir estresse e ansiedade de astronautas no espaço, alunos da equipe de robótica do Instituto São Francisco Coração de Maria, em Esteio (RS), desenvolveram um aparelho que mistura imagem e som, com um dispositivo de realidade virtual. 

A equipe Androids, formada em 2010, venceu a etapa regional do Torneio de Robótica First Lego League, do SESI, em outubro do ano passado. Agora, o time almeja vencer a etapa nacional da competição, que será disputada de 15 a 17 de março, no Rio de Janeiro. O grupo é formado por seis alunos e dois professores. 

A saudade de itens materiais da Terra e da família podem ser os fatores que causam estresse e ansiedade nos astronautas, como explica o professor e técnico da equipe, Gilmar Alves Ferreira.

TEC./SONORA: Gilmar Alves Ferreira, professor 

“O astronauta, se fica muito tempo no espaço, fica com essa questão de saudade da Terra, saudade dos familiares, e aquela coisa começa a criar uma ansiedade. Precisam toda hora muito focados no serviço para que essa questão de ansiedade não tome conta.” 

LOC.: A estudante do nono ano do ensino fundamental do Instituto São Francisco, Eduarda Carvalho, faz parte da equipe. Ela conta que torneios como o organizado pelo SESI agregam conhecimento que vai além do cotidiano dos alunos. 

TEC./SONORA: Eduarda Carvalho, estudante 

“É um diferencial muito grande dos torneios do SESI porque te colocam em contato com programas, com conteúdo que não temos no nosso dia-a-dia.” 

LOC.: A equipe Androids tem tradição na competição. Na etapa nacional de 2017, conseguiu classificação para o mundial, na Austrália, e foram contemplados com o primeiro lugar. 

A gerente da área de Educação do SESI do Rio Grande do Sul, Sônia Bier, destaca que o intuito do torneio é despertar o interesse pela tecnologia.

TEC./SONORA: Sônia Bier, gerente da área de Educação do SESI do Rio Grande do Sul

“Nós temos conseguido uma grande participação, com escolas públicas, com escolas particulares, além de equipes de garagem, o que faz com que a gente tenha trazido para esse movimento o entendimento que a tecnologia é a nossa maior ferramenta, para que a gente possa enfrentar os desafios do século XXI.”

LOC.: O desafio do torneio de 2019 explora a temática espacial, envolvendo satélites, comunicação, sobrevivência e aspectos psicológicos em que os astronautas estão sujeitos em uma viagem espacial.

Com a colaboração de Thiago Marcolini, reportagem, Cristiano Carlos