Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Créditos: CNA

Cooxupé confirma ritmo acelerado de trabalho na colheita de café

China deve reabrir comércio de carne com o Brasil e evitar férias coletivas

Salvar imagemTexto para rádio

A Cooxupé, maior cooperativa cafeeira do mundo, detalhou que mais de 26% da área plantada até o dia 7 de junho pelos seus cooperados já foi colhida. O resultado está bem acima do desempenho no mesmo período do ano passado.

Quem vai nos detalhar o tamanho desse crescimento e quais as expectativas para esta safra de café é a jornalista Carla Mendes, do Notícias Agrícolas. Seja bem-vinda, Carla.

“A colheita está mais avançada este ano, já que no mesmo período de 2018 eram apenas 11,5% da área colhida contra os mais de 26% que você acabou de adiantar. Desde 2015, pelo menos, os trabalhos de colheita não passavam de 13% nesse momento da safra, segundo divulgou a Cooxupé em um relatório trazido nesta quarta-feira (12). Nós devemos ter uma safra menor de café esse ano, por termos um ano de baixos no ciclo bienal, que é típico do café alternar ano de boas e más colheitas. Então, devemos ter um ano de baixa.”

Agora, falando sobre uma mudança importante para a pecuária. Segundo a Agrifatto, uma consultoria do ramo, o Ministério da Agricultura e Pecuária se reuniu com autoridades chinesas para interromper a suspensão de exportação de carne. Essa suspensão já causava reflexos na produção brasileira. Nesta semana, a Minerva, empresa de alimentos, havia anunciado férias coletivas para mais de 600 funcionários.

Quais as informações sobre essa reunião e o que já se sabe sobre essa situação com a China, Carla?

“Nós tivemos essa reunião entre José Guilherme Leal, que é da Secretaria de Defesa Agropecuária e uma certificadora da China. Nós devemos ter boas notícias para os embarques de carne bovina para os chineses. A nota, trazida pela Agrifatto, que é uma consultoria privada, é assinada pela CEO da consultoria, a Lygia Pimentel, que confirma a reabertura das vendas à China após a suspensão por conta do caso de Vaca Louca. Segundo a Agrifatto, a planta da Minerva em Barretos, que tinha anunciado férias coletivas já suspendeu esse movimento e a unidade já volta a abater.”

Obrigado pelos esclarecimentos, Carla. Quem quiser saber mais novidades do agronegócio é só acessar o Notícias Agrícolas, certo?

“É isso mesmo. Para quem quiser saber mais sobre o agronegócio brasileiro e mundial: noticiasagricolas.com.br. Até a próxima, Raphael".

Continue Lendo

Receba nossos conteúdos em primeira mão.

A Cooxupé, maior cooperativa cafeeira do mundo, detalhou que mais de 26% da área plantada até o dia 7 de junho pelos seus cooperados já foi colhida. O resultado está bem acima do desempenho no mesmo período do ano passado.

Quem vai nos detalhar o tamanho desse crescimento e quais as expectativas para esta safra de café é a jornalista Carla Mendes, do Notícias Agrícolas. Seja bem-vinda, Carla.

“A colheita está mais avançada este ano, já que no mesmo período de 2018 eram apenas 11,5% da área colhida contra os mais de 26% que você acabou de adiantar. Desde 2015, pelo menos, os trabalhos de colheita não passavam de 13% nesse momento da safra, segundo divulgou a Cooxupé em um relatório trazido nesta quarta-feira (12). Nós devemos ter uma safra menor de café esse ano, por termos um ano de baixos no ciclo bienal, que é típico do café alternar ano de boas e más colheitas. Então, devemos ter um ano de baixa.”

Agora, falando sobre uma mudança importante para a pecuária. Segundo a Agrifatto, uma consultoria do ramo, o Ministério da Agricultura e Pecuária se reuniu com autoridades chinesas para interromper a suspensão de exportação de carne. Essa suspensão já causava reflexos na produção brasileira. Nesta semana, a Minerva, empresa de alimentos, havia anunciado férias coletivas para mais de 600 funcionários.

Quais as informações sobre essa reunião e o que já se sabe sobre essa situação com a China, Carla?
 

“Nós tivemos essa reunião entre José Guilherme Leal, que é da Secretaria de Defesa Agropecuária e uma certificadora da China. Nós devemos ter boas notícias para os embarques de carne bovina para os chineses. A nota, trazida pela Agrifatto, que é uma consultoria privada, é assinada pela CEO da consultoria, a Lygia Pimentel, que confirma a reabertura das vendas à China após a suspensão por conta do caso de Vaca Louca. Segundo a Agrifatto, a planta da Minerva em Barretos, que tinha anunciado férias coletivas já suspendeu esse movimento e a unidade já volta a abater.”

Obrigado pelos esclarecimentos, Carla. Quem quiser saber mais novidades do agronegócio é só acessar o Notícias Agrícolas, certo?

“É isso mesmo. Para que quiser saber mais sobre o agronegócio brasileiro e mundial: noticiasagricolas.com.br. Até a próxima, Raphael.”