Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Créditos: Wenderson Araujo -CNA

BOLETIM AGRO: Indústria de óleos vegetais cobra melhora na proposta de fretes da ANTT

Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais participou das audiências públicas e apresentou documento com comentários sobre a metodologia contratada pela agência reguladora

Salvar imagemTexto para rádio

Olá, eu sou o Raphael Costa e esta é mais uma edição do Boletim Agro. Na edição de hoje, trazemos alguns destaques do agronegócio no Brasil

Representante das Indústrias de Óleos Vegetais, a Abiove sugeriu à Agência Nacional de Transportes Terrestres, a ANTT, melhoras na resolução que a agência desenvolveu para o cálculo do valor mínimo dos fretes.

O assunto ainda traz dificuldades para produtores de diversas culturas no país, como a de soja.

Quem vai nos explicar melhor qual a reclamação, além de debater outras questões é a Carla Mendes, jornalista do Notícias Agrícolas.

Seja bem-vinda, Carla.

“Realmente a Abiove tem participado ativamente de todas as audiências públicas realizadas pela ANTT para que haja, enfim, uma resolução para a questão do tabelamento do frete. Sugeriu à ANTT uma nova resolução que venha passar a valer como travamento do Código Identificador da Operação Transporte (Ciot). Hoje, esse código não é aplicado para todas as operações de transporte. Esse travamento acaba acentuando uma falta de isonomia entre as transportadoras por um lado. Por outro, nós vemos que, para os autônomos e os equiparados, acontece de outra forma. Então o objetivo é equalizar isso, deixar igual para todo mundo e fazer com que seja mais um fator para reduzir a burocracia no travamento dos fretes.”

A Companhia Nacional de Abastecimento começou nesta semana a quinta etapa das fiscalizações em estoques públicos. Os alvos serão armazéns do Centro-Oeste e do Sudeste. Qual o objetivo dessa ação e o que eles estão fiscalizando, Carla?

“Nessa ação serão inspecionadas aproximadamente 623 mil toneladas de produtos como café e milho de sacarias e diversos produtos industrializados, beneficiados ou manufaturados O objetivo é apurar as condições de qualidade e quantidade dos estoques e avaliar a situação técnico-operacional das unidades armazenadoras depositárias. Serão cerca de 48 armazéns localizados nos estados de Minas Gerais, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul nesta quinta fase de fiscalização.”

Obrigado pelos esclarecimentos, Carla. Quem quiser saber mais novidades do agronegócio é só acessar o Notícias Agrícolas, certo?

“É isso mesmo. Para quem quiser saber mais sobre o agronegócio brasileiro e mundial: noticiasagricolas.com.br. Até a próxima, Raphael".
 

Fonte: Brasil 61

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.

Olá, eu sou o Raphael Costa e esta é mais uma edição do Boletim Agro. Na edição de hoje, trazemos alguns destaques do agronegócio no Brasil.

Representante das Indústrias de Óleos Vegetais, a Abiove sugeriu à Agência Nacional de Transportes Terrestres, a ANTT, melhoras na resolução que a agência desenvolveu para o cálculo do valor mínimo dos fretes.

O assunto ainda traz dificuldades para produtores de diversas culturas no país, como a de soja.

Quem vai nos explicar melhor qual a reclamação, além de debater outras questões é a Carla Mendes, jornalista do Notícias Agrícolas.

Seja bem-vinda, Carla.
 

“Realmente a Abiove tem participado ativamente de todas as audiências públicas realizadas pela ANTT para que haja, enfim, uma resolução para a questão do tabelamento do frete. Sugeriu à ANTT uma nova resolução que venha passar a valer como travamento do Código Identificador da Operação Transporte (Ciot). Hoje, esse código não é aplicado para todas as operações de transporte. Esse travamento acaba acentuando uma falta de isonomia entre as transportadoras por um lado. Por outro, nós vemos que, para os autônomos e os equiparados, acontece de outra forma. Então o objetivo é equalizar isso, deixar igual para todo mundo e fazer com que seja mais um fator para reduzir a burocracia no travamento dos fretes.”

A Companhia Nacional de Abastecimento começou nesta semana a quinta etapa das fiscalizações em estoques públicos. Os alvos serão armazéns do Centro-Oeste e do Sudeste. Qual o objetivo dessa ação e o que eles estão fiscalizando, Carla?

“Nessa ação serão inspecionadas aproximadamente 623 mil toneladas de produtos como café e milho de sacarias e diversos produtos industrializados, beneficiados ou manufaturados O objetivo é apurar as condições de qualidade e quantidade dos estoques e avaliar a situação técnico-operacional das unidades armazenadoras depositárias. Serão cerca de 48 armazéns localizados nos estados de Minas Gerais, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul nesta quinta fase de fiscalização.”

Obrigado pelos esclarecimentos, Carla. Quem quiser saber mais novidades do agronegócio é só acessar o Notícias Agrícolas, certo?

“É isso mesmo. Para que quiser saber mais sobre o agronegócio brasileiro e mundial: noticiasagricolas.com.br. Até a próxima, Raphael.”