Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Créditos: Reprodução

BOLETIM AGRO: Exportações brasileiras de frango para China batem recorde

Volume da carne vendido ao país asiático foi 54,9 mil toneladas, em maio

Salvar imagemTexto para rádio

O comércio externo de produtos da agropecuária nacional se beneficia pelos recentes casos de peste suína africana na China.

Influenciadas pela maior demanda por carnes, as exportações brasileiras de frango para o gigante asiático atingiram, em maio, marca histórica.

Além do aumento na quantidade de frango enviado para o mercado chinês, o preço também teve uma elevação.

Quem vai nos detalhar os volumes e os valores envolvidos nesses novos números das exportações brasileiras é a jornalista Carla Mendes, do Notícias Agrícolas.

“Em maio, o volume de carne de frango brasileiro exportado para a China foi recorde, 54,9 mil toneladas. Esses são os números divulgados pela Secex, Secretaria de Comércio Exterior. E como você adiantou, além do crescimento em volume, os chineses tem pagado mais caro pela proteína do Brasil, pelo frango brasileiro. Então, nós tivemos, em maio, o valor passando de R$ 2,55 o quilo, um aumento de 30% em relação a média anterior. E isso, é claro, acaba gerando mais receita para o Brasil.”

Outro destaque da agropecuária que pode aumentar as exportações brasileiras vem da cultura do algodão.

Diante de uma produção recorde, a Embrapa fez uma análise cadeia produtiva da cultura.

Atualmente, o Brasil é o quinto maior produtor de algodão no mundo.

De acordo com o levantamento da empresa, estão sendo produzidos 2,7 milhões de toneladas de pluma.

O que o estudo traz de evidências, Carla?

“O Brasil tem terra e tecnologia disponíveis para atender esse aumento no consumo de mundial de algodão, segundo esse estudo da Embrapa. Então o objetivo da Embrapa, agora, é fazer com que haja uma intensificação na pesquisa da cultura do algodão, para continuarmos ofertando um produto de boa qualidade, preço competitivo, aumentar a produtividade nas propriedades, enfim, fazer o Brasil cada vez mais competitivo nesse mercado"

Obrigado pelos esclarecimentos, Carla. Quem quiser saber mais novidades do agronegócio é só acessar o Notícias Agrícolas, certo?

“É isso mesmo. Para quem quiser saber mais sobre o agronegócio brasileiro e mundial: noticiasagricolas.com.br. Até a próxima, Raphael".

Continue Lendo

Receba nossos conteúdos em primeira mão.

O comércio externo de produtos da agropecuária nacional se beneficia pelos recentes casos de peste suína africana na China.

Influenciadas pela maior demanda por carnes, as exportações brasileiras de frango para o gigante asiático atingiram, em maio, marca histórica.

Além do aumento na quantidade de frango enviado para o mercado chinês, o preço também teve uma elevação.

Quem vai nos detalhar os volumes e os valores envolvidos nesses novos números das exportações brasileiras é a jornalista Carla Mendes, do Notícias Agrícolas.
 

“Em maio, o volume de carne de frango brasileiro exportado para a China foi recorde, 54,9 mil toneladas. Esses são os números divulgados pela Secex, Secretaria de Comércio Exterior. E como você adiantou, além do crescimento em volume, os chineses tem pagado mais caro pela proteína do Brasil, pelo frango brasileiro. Então, nós tivemos, em maio, o valor passando de R$ 2,55 o quilo, um aumento de 30% em relação a média anterior. E isso, é claro, acaba gerando mais receita para o Brasil.”

Outro destaque da agropecuária que pode aumentar as exportações brasileiras vem da cultura do algodão.

Diante de uma produção recorde, a Embrapa fez uma análise cadeia produtiva da cultura.

Atualmente, o Brasil é o quinto maior produtor de algodão no mundo.

De acordo com o levantamento da empresa, estão sendo produzidos 2,7 milhões de toneladas de pluma.

O que o estudo traz de evidências, Carla?
 

“O Brasil tem terra e tecnologia disponíveis para atender esse aumento no consumo de mundial de algodão, segundo esse estudo da Embrapa. Então o objetivo da Embrapa, agora, é fazer com que haja uma intensificação na pesquisa da cultura do algodão, para continuarmos ofertando um produto de boa qualidade, preço competitivo, aumentar a produtividade nas propriedades, enfim, fazer o Brasil cada vez mais competitivo nesse mercado"

Obrigado pelos esclarecimentos, Carla. Quem quiser saber mais novidades do agronegócio é só acessar o Notícias Agrícolas, certo?

“É isso mesmo. Para que quiser saber mais sobre o agronegócio brasileiro e mundial: noticiasagricolas.com.br. Até a próxima, Raphael.”