Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Foto: EBC

BOLETIM AGRO: Animal com suspeita de vaca loca, em MT, é caso atípico

Alterações em MP do Código Florestal não flexibiliza regras

Salvar imagemTexto para rádio

Olá, eu sou a Juliana Gonçalves e este é mais uma edição do Boletim Agro. No programa de hoje (3), trazemos as principais novidades do agronegócio no Brasil e no mundo.

A suspeita de um caso de vaca louca no Mato Grosso chamou a atenção das autoridades ligadas à pecuária. A doença, que atinge bovinos adultos, afeta o cérebro do animal e pode contaminar seres humanos através do consumo de carne contaminada. Diante desse risco, o Ministério da Agricultura está investigando o caso, mas uma característica incomum já chama a atenção. Quem vai nos dizer qual característica é essa, além de abordar outros assuntos é a Carla Mendes, jornalista do Notícias Agrícolas. Bem-vinda, Carla.

“Realmente essa foi uma notícia bastante preocupante para o setor, mas alguns esclarecimentos já foram feitos, incluindo que o animal que está sendo investigado como portador da doença, lá no estado do Mato Grosso, tem 19 anos, o que já configura como um caso atípico da doença. A confirmação foi feito por um ex-funcionário, graduado da Vigilância Sanitária, que tem inclusive muito trânsito no Ministério da Agricultura, mas ele preferiu não se identificar. Então, temos ainda alguns testes sendo feitos. Temos a certeza também que não se deu essa doença por alimentação contaminada, isso também já é uma coisa que se sabe. E agora, os demais testes estão sendo feitos e o mapa do Ministério da Agricultura confirmou a suspeita, mas vai comentar somente esse assunto depois dos resultados dos exames e após comunicar a OIE sobre os resultados.”

E na política, um tema que voltou a ser o centro das atenções é da Medida Provisória do Código Florestal. As alterações no MP estão reacendendo o debate e repercutindo dentro do setor. Conte-nos mais sobre essas alterações, Carla.

“Essa Medida Provisória, que é a medida 867, ela prorroga o prazo de adesão do produtor rural para o Programa de Regularização Ambiental, chamado PRAD até o dia 31 de dezembro de 2020, sem restrição de crédito. Agora, o prazo que já teria sido vencido dia 31 de dezembro do ano passado, ele não pode ser cumprido pelos produtores rurais por falta de regras em alguns estados. Por isso, a criação dessa medida provisória para gente teve esse prazo maior até 31 de dezembro de 2020. Portanto, houve toda essa movimentação em volta dessa medida provisória e agora a gente precisa esperar para saber qual será a atitude dos ministros da agricultura e também do meio ambiente. O fato é que, como disse a ministra da agricultura, Teresa Cristina, ela acredita que há a possibilidade sim do governo reeditar a MP 867, que faz alterações no Código Florestal. E mais do que isso, ela diz que essas alterações são necessárias”.

Obrigado pelos esclarecimentos, Carla. Quem quiser saber mais novidades do agronegócio é só acessar o Notícias Agrícolas, certo?

“É isso mesmo. Para quem quiser saber mais sobre o agronegócio brasileiro e mundial: noticiasagricolas.com.br. "

Fonte: Brasil 61

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.

Olá, eu sou a Juliana Gonçalves e este é mais uma edição do Boletim Agro. No programa de hoje (1), trazemos as principais novidades do agronegócio no Brasil e no mundo.

A suspeita de um caso de vaca louca no Mato Grosso chamou a atenção das autoridades ligadas à pecuária. A doença, que atinge bovinos adultos, afeta o cérebro do animal e pode contaminar seres humanos através do consumo de carne contaminada. Diante desse risco, o Ministério da Agricultura está investigando o caso, mas uma característica incomum já chama a atenção. Quem vai nos dizer qual característica é essa, além de abordar outros assuntos é a Carla Mendes, jornalista do Notícias Agrícolas. Bem-vinda, Carla.

“Realmente essa foi uma notícia bastante preocupante para o setor, mas alguns esclarecimentos já foram feitos, incluindo que o animal que está sendo investigado como portador da doença, lá no estado do Mato Grosso, tem 19 anos, o que já configura como um caso atípico da doença. A confirmação foi feito por um ex-funcionário, graduado da Vigilância Sanitária, que tem inclusive muito trânsito no Ministério da Agricultura, mas ele preferiu não se identificar. Então, temos ainda alguns testes sendo feitos. Temos a certeza também que não se deu essa doença por alimentação contaminada, isso também já é uma coisa que se sabe. E agora, os demais testes estão sendo feitos e o mapa do Ministério da Agricultura confirmou a suspeita, mas vai comentar somente esse assunto depois dos resultados dos exames e após comunicar a OIE sobre os resultados.”

E na política, um tema que voltou a ser o centro das atenções é da Medida Provisória do Código Florestal. As alterações no MP estão reacendendo o debate e repercutindo dentro do setor. Conte-nos mais sobre essas alterações, Carla.

“Essa Medida Provisória, que é a medida 867, ela prorroga o prazo de adesão do produtor rural para o Programa de Regularização Ambiental, chamado PRAD até o dia 31 de dezembro de 2020, sem restrição de crédito. Agora, o prazo que já teria sido vencido dia 31 de dezembro do ano passado, ele não pode ser cumprido pelos produtores rurais por falta de regras em alguns estados. Por isso, a criação dessa medida provisória para gente teve esse prazo maior até 31 de dezembro de 2020. Portanto, houve toda essa movimentação em volta dessa medida provisória e agora a gente precisa esperar para saber qual será a atitude dos ministros da agricultura e também do meio ambiente. O fato é que, como disse a ministra da agricultura, Teresa Cristina, ela acredita que há a possibilidade sim do governo reeditar a MP 867, que faz alterações no Código Florestal. E mais do que isso, ela diz que essas alterações são necessárias”.

Obrigado pelos esclarecimentos, Carla. Quem quiser saber mais novidades do agronegócio é só acessar o Notícias Agrícolas, certo?

“É isso mesmo. Para quem quiser saber mais sobre o agronegócio brasileiro e mundial: noticiasagricolas.com.br."