Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Foto: CBMCE

Aumenta número de mortos no desabamento de prédio em Fortaleza

De acordo com Corpo de Bombeiros, duas pessoas seguem desaparecidas

Salvar imagemTexto para rádio

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará continua com as buscas a sobreviventes do desabamento do edifício Andrea, em Fortaleza. Até a manhã deste sábado (19), a corporação confirmou a morte de sete pessoas. Outras sete foram resgatadas com vida e duas seguem desaparecidas.

O último resgatado sem vida, na sexta-feira (18), foi Vicente de Paulo Vasconcelos de Menezes, de 86 anos. As demais vítimas fatais são: Rosane Marques de Menezes (56), Maria da Penha Bezerril Cavalcante (81), Nayara Pinho Silveira (31), Antônio Gildasio Holanda Silveira (60), Izaura Marques de Menezes (81) e Frederick Santana dos Santos (30).

O comandante geral do Corpo de Bombeiros do Ceará, Luis Eduardo Holanda, conta que ainda há chance de encontrar sobreviventes, mas esta possibilidade diminui a cada dia que passa.

“Quanto mais o tempo passa, obviamente, as possibilidades vão diminuindo, mas não zeram. A resistência do ser humano está sendo colocada à prova e a sabemos que vai debilitando. Quanto mais o tempo passa, obviamente, vai diminuindo essa possibilidade das pessoas resistirem”, conta.

Cerca de 135 bombeiros militares atuam no ponto que é chamado pelas equipes de “zona quente”, ou seja, sobre os escombros, com equipes de resgate especializadas em estruturas colapsadas e cães farejadores, além de equipamentos como drones, utilizados na varredura da área, e uma plataforma mecânica que possibilita uma visão elevada e central de toda a estrutura.

Já a Polícia Militar do Ceará (PMCE), que conta também com policiais militares em serviço extra, realiza o isolamento na região, visando facilitar o trabalho dos bombeiros militares, bem como manter a segurança das pessoas próximas. Em torno de 31 policiais militares, em viaturas e motocicletas atuam na ocorrência.

A Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce), com 50 profissionais, e a Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), com cinco policiais civis, também participam dos trabalhos. Profissionais de órgãos da Prefeitura Municipal de Fortaleza (PMF), como a Defesa Civil do Município e a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) também atuam no local, bem como voluntários de várias áreas.

Psicólogos também foram enviados para o ponto onde as guarnições estão trabalhando, com o intuito de dar apoio aos profissionais do Sistema de Segurança.
 

Fonte: Brasil 61

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará continua com as buscas a sobreviventes do desabamento do edifício Andrea, em Fortaleza. Até a manhã deste sábado (19), a corporação confirmou a morte de sete pessoas. Outras sete foram resgatadas com vida e duas seguem desaparecidas.

O último resgatado sem vida, na sexta-feira (18), foi Vicente de Paulo Vasconcelos de Menezes, de 86 anos. As demais vítimas fatais são: Rosane Marques de Menezes (56), Maria da Penha Bezerril Cavalcante (81), Nayara Pinho Silveira (31), Antônio Gildasio Holanda Silveira (60), Izaura Marques de Menezes (81) e Frederick Santana dos Santos (30).

O comandante geral do Corpo de Bombeiros do Ceará, Luis Eduardo Holanda, conta que ainda há chance de encontrar sobreviventes, mas esta possibilidade diminui a cada dia que passa.
 

“Quanto mais o tempo passa, obviamente, as possibilidades vão diminuindo, mas não zeram. A resistência do ser humano está sendo colocada à prova e a sabemos que vai debilitando. Quanto mais o tempo passa, obviamente, vai diminuindo essa possibilidade das pessoas resistirem.”

Cerca de 135 bombeiros militares atuam no ponto que é chamado pelas equipes de “zona quente”, ou seja, sobre os escombros, com equipes de resgate especializadas em estruturas colapsadas e cães farejadores, além de equipamentos como drones, utilizados na varredura da área, e uma plataforma mecânica que possibilita uma visão elevada e central de toda a estrutura.

Já a Polícia Militar do Ceará (PMCE), que conta também com policiais militares em serviço extra, realiza o isolamento na região, visando facilitar o trabalho dos bombeiros militares, bem como manter a segurança das pessoas próximas. Em torno de 31 policiais militares, em viaturas e motocicletas atuam na ocorrência.

A Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce), com 50 profissionais, e a Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), com cinco policiais civis, também participam dos trabalhos. Profissionais de órgãos da Prefeitura Municipal de Fortaleza (PMF), como a Defesa Civil do Município e a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) também atuam no local, bem como voluntários de várias áreas.

Psicólogos também foram enviados para o ponto onde as guarnições estão trabalhando, com o intuito de dar apoio aos profissionais do Sistema de Segurança.

Reportagem, Cintia Moreira